Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

terça-feira, março 30, 2010

OS ESTEREÓTIPOS PERDEM SUA RAZÃO DE SER NAS ESCOLAS DIFERENCIADAS

EDUCAÇÃO

O que é melhor: colégios mistos (onde há meninos e meninas em uma mesma classe de aula) ou diferenciados (onde há classes só para meninos e classes só para meninas)?

Leonard Sax é fundador e diretor executivo da "National Association for Single Sex Public Education" (Associação Nacional para a Educação Pública Diferenciada, ou “NASSPE”, na sigla em inglês). Ele empreende uma cruzada para conseguir que a educação diferenciada tenha lugar na escola pública dos Estados Unidos. Seu enfoque põe de lado a ideologia para cair nos braços da ciência.

Na entrevista a seguir, concedida à revista espanhola Magistério e publicada em Diferenciada.org (28/04/2009) ele defende a tese de que separar meninos e meninas nas classes de aula não tem nada a ver com assuntos religiosos ou morais: trata-se simplesmente de aproveitar melhor as suas particularidades biológicas do ponto de vista escolar.

Magistério: As pesquisas sobre as diferenças neurológicas e cognitivas entre os sexos foram virtualmente proscritas durante décadas, mas agora parecem viver uma espécie de renascimento. O que se pode esperar dessas pesquisas nos próximos anos?

Sax: Sem dúvida. Há muitas questões que estamos apenas começando a investigar, inclusive porque os resultados das pesquisas realizadas na última década não são ainda suficientemente conhecidos. É evidente que nos encontramos, hoje, no principiar de uma nova era.

Magistério: O senhor afirma que as habilidades matemáticas e a inteligência espacial, nos rapazes, desenvolvem-se mais cedo, ao passo que o mesmo ocorre com a linguagem em relação às moças. Suponho que em tais afirmações haja lugar para muitíssimas exceções.

Sax: Claro que sim. Deixando de lado as questões educativas, também existem meninos que não gostam de futebol e preferem cozinhar, enquanto há meninas que não gostam de cozinhar e optam pelo futebol. São as crianças que denominamos atípicas, desde uma perspectiva de gênero, mas devemos levar seriamente em consideração este fato, pelos seus próprios riscos. Por exemplo, um menino que prefere cozinhar a jogar tem muito mais probabilidade de sofrer alergias e asma, ou uma depressão severa em seus anos de adolescente, devido a situações de isolamento e importunação que pode vir a sofrer na escola por parte dos colegas.
Magistério: E o que devemos fazer nestes casos?

Sax: Estas crianças se sentem muito melhor adaptadas nos colégios diferenciados do que nos mistos, nos quais costumam ser os mais visados da classe. Naturalmente estamos nos referindo a escolas diferenciadas que sejam bem administradas, nas quais seus responsáveis saibam lidar corretamente com as diferenças entre sexos e dentro de cada sexo. As crianças atípicas do ponto de vista do gênero tendem a encarar os estudos mais a sério, e deste modo podem ser de grande ajuda para outros colegas com problemas, o que permite reforçar sua auto-estima.

Magistério: Segundo alguns dados, a Educação mista está fazendo com que cada vez menos meninas optem por carreiras científicas e menos meninos se achem com vocação para as humanidades ou para as artes. A Educação mista contribui para assentar a opinião de que determinadas áreas são destinadas às meninas e outras aos meninos?

Sax: A Educação mista parte de uma premissa: a assimilação. Juntem-se dois grupos, A e B, e cada vez mais se parecerão um ao outro. Mas isto não tem funcionado assim. O fato é que nas escolas mistas muitas adolescentes, embora não todas, recebem a mensagem de que a informática é um assunto masculino. Tal fato fica mais evidente entre os rapazes, já que um jovem de 15 anos não gostaria, sob nenhuma circunstância de correr o risco de ser taxado de homossexual por freqüentar aulas de desenho ou de história da arte. Tais estereótipos perdem em boa medida sua razão de ser nas escolas diferenciadas.

Magistério: O senhor está de acordo com os argumentos da velha escola a favor da Educação diferenciada? Refiro-me às justificativas que falam do excesso de distrações devido aos hormônios adolescentes?

Sax: De maneira nenhuma. Isso é o que se dizia há 20 anos, mas essa idéia foi completamente superada do ponto de vista empírico. O que temos averiguado recentemente é que se separarmos os meninos com 6 anos, das meninas, conseguiremos enormes progressos escolares em ambos os sexos, mas se só os separarmos aos 16 anos os progressos serão muito menores. A hipótese das distrações ocasionadas pelos hormônios durante a adolescência parece muito sugestiva, embora careça por completo de validade científica.

Magistério: Há quem sugira que o senhor reveste de ciência o que no fundo são colocações religiosas ou morais?

Sax: Não nos Estados Unidos. Este é o tipo de pergunta que me fazem os jornalistas estrangeiros, já que fora do meu país a Educação diferenciada está habitualmente associada à Igreja Católica. Perguntam-me se é esta que financia a minha associação, mas a resposta é taxativamente não. Recebo muitas críticas nos Estados Unidos, embora a maioria provenha de grupos feministas que nos acusam de querer voltar ao passado, àqueles tempos em que as escolas para meninos recebiam mais subvenção e atenção que as escolas para meninas. Não queremos voltar ao passado, em absoluto. Muito pelo contrário, o que pretendemos é avançar para um futuro livre de idéias preconcebidas.

Magistério: O senhor acha que as professoras são mais adequadas para as escolas de meninas, e os professores para as de meninos?

Sax: Não, nada a ver. O importante é que recebam a formação adequada para aproveitarem ao máximo o que conhecemos sobre as diferenças cognitivas entre meninos e meninas.

Magistério: O senhor sustenta que os meninos ouvem pior que as meninas, especialmente quando mais cedo em idade. Nos seus estudos costuma citar um caso real que chegou ao seu consultório, quando era médico de família: um menino de escola primária, que se mostrava distraído e abúlico na sala de aula, diagnosticado com Transtorno por Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) por outro profissional. O senhor detectou que o problema era auditivo, que o jovem mal conseguia ouvir a débil voz de sua professora, e era por causa disso que ele se punha a olhar pela janela ou rabiscava ao léu, sem tirar proveito algum da lição. Obviamente, a solução não era a de aplicar-lhe Ritalin, o medicamento mais conhecido para tratar o Transtorno por Déficit de Atenção e Hiperatividade, como o outro profissional havia receitado. Mas o senhor não se cansa de criticar a facilidade com que se receita este tipo de medicamento. Por que desse alerta?

Sax: As vozes mais autorizadas da psiquiatria nos Estados Unidos vêm afirmando durante anos que este tipo de medicamento não oferece nenhum risco. Agora sabemos que tais "autoridades" receberam milhões de dólares da indústria farmacêutica sem que jamais o tivessem declarado publicamente. Os mesmos indivíduos que deveriam ter pesquisado com rigor os benefícios e malefícios causados por comprimidos como o Ritalin. Os mesmos, junto aos quais temos buscado conselho sobre um tema tremendamente delicado! Dá medo, não é verdade?".





Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Portal da Família - Leonard Sax
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro


domingo, março 28, 2010

LIVVRE DAS RUGAS PARA SEMPRE

CUIDANDO DA SAÚDE




Ao estudar, por mais de trinta anos, o desenvolvimento das chamadas marcas do tempo que são refletidas na pele, o dr. Howard Murad pôde identificar alguns fatores que são responsáveis pelo aparecimento de rugas e linhas de expressão nos rostos de seus pacientes.
=
A pele, afirma o dr. Murad, é o maior órgão de nosso corpo. Ela funciona como uma barreira protetora para evitar que elementos maléficos penetrem em nosso organismo e que substâncias benignas escapem para o exterior.
=
Em seu artigo: Livre de rugas para sempre; este conceituado dermatologista americano - que também é professor associado de dermatologia clínica na Geffen School of medicine da UCLA - salienta que o que mantém o aspecto saudável da pele é o nível de água que a mesma retém no interior de suas células. Porém, alerta que não basta ingerirmos os preconizados oito copos de água diariamente para que a pessoa possa se assegurar este nível de hidratação da pele. Pois, como facilmente pode-se perceber isto, na maioria das vezes, só aumentaria nossa frequência de idas ao banheiro.
=
Destaca que necessitamos de substâncias que potencializem a capacidade do organismo de reter água no interior das células que compõem o tecido da pele. Estas substâncias são os antioxidantes, encontradas nas vitaminas C e E e no betacaroteno existentes nas frutas, vegatais, legumes e nos suplementos alimentares. Estas substâncias combatem os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento da pele.
=
Um grande fator de risco para a pele é a exposição aos raios UVB e UVA de emissãosolar. A ação do UVB atinge a camada superior da pele, enfraquecendo sua defesa e facilitando a atividade do UVA que penetra mais profundamente, atingindo as paredes dos vasos sanguíneos. A aplicação correta do protetor solar inibe a atuação dos raios solar sobre a pele.
=
Segundo o dr. Murad para enfrentar os danos prococados por uma inadequada exposição ao sol, é preciso estabelecer um programa que estimule a retenção de água pelas células que estruturam a pele. A aplicação tópica de vitamina C, combina com uma limpeza regular da pele e a recuperação das fibras de colágeno e elastina suavizam a existência de rugas e marcas de expressão.
=
Entretanto, avisa que para a eliminação destas é necessário a conscientização do paciente para a importância de mudar, em muitos, os aspectos de seu estilo de vida: combate ao estresse, diminuição do uso do cigarro, bebidas alcoólicas e outras drogas; além, de uma alimentação mais equilibrada e a prática regular de exercícios físicos moderados.







Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Dr. Hovard Murad - Membro Shvoong
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

sábado, março 27, 2010

PROCEDIMENTOS PARA UMA SAÚDE SAUDÁVEL

CUIDANDO DA SAÚDE



Nosso fígado é como uma máquina. Precisa estar limpo para executar bem suas funções. Para isso acontecer é necessário que antes do café da manhã e as refeições tomar água (200 a 400 ml) dependendo da quantidade de alimentos que for comer, precisamos observar em primeiro lugar os horários de nossa alimentação, é sempre importante.
=
O que deve ser feito de 15 a 20 minutos antes de comer sólidos. Este é o tempo para o estômago esvaziar e a conseqüente limpeza do fígado. 400ml de líquido e mais 600 gramas de alimentos sólidos fazem um volume muito grande, o que acaba dilatando o estômago e aumentando o diâmetro das tripas.
=
Fazendo assim evitaremos que mais tarde precisemos fazer uma operação cirúrgica para retirada de parte do estômago ou intestinos. Além disso, devemos fazer intervalos de 4 horas entre as refeições, tomando apenas água, ou no máximo sucos pouco concentrados de frutas, legumes ou folhas.
=
Este método não só cura as doenças já existentes, como também previne contra qualquer uma que queira se manifestar, dependendo dos alimentos certos ou errados. As bruxas e feiticeiros usavam e usam certas ervas em suas poções mágicas com propósitos maléficos. Quanto mais for o aroma e gosto forte mais nocivos são. É só ter um pouco de sensibilidade para saber quais são.








Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
João Batista Lacerda - Membro Shvoong
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

quinta-feira, março 25, 2010

DE ENCONTRADIÇO

Mensagem - Páscoa









É Páscoa.
Não, não! É quase Páscoa.
Falta-nos ainda passar a via,
A nossa via, tão pouco sacra.

É Paixão. A dele, sim.
A nossa? É quase paixão.
Tem pouca paixão a nossa via,
O nosso amor é calculista,
coisa de Cirineu mal-humorado.

Ele vai à frente, a Cruz às costas,
E nós, de longe,
arrepiados só de ver sangue e
temerosos de que nos apontem: "Esse é dos dele",
disfarçamos... Que essa paixão é coisa de tolos...

Fomos marcados um dia,
Marcados para viver.
Mas as mortes que nos convidam
são tão prazerosas...
E essa história de Cruz tão fora de moda...
Ora... Sofrer por amor é coisa de tolos...

Fazer os outros felizes, até queremos...,
Mas desde que não nos custe um pingo,
Muito menos um pingo de sangue,
Muito menos uma cruz às costas.
Segui-Lo, portanto, como?
Se já O perdemos de vista...

E assim ficamos sem Via,
sem norte, sem destino.
Convenceu-nos a Mentira
De que perseguir o prazer é que é Vida.

Até que a cruz do prazer nos esmague
Com o peso morto dos mortos
Que gozam para morrer escravos
Do gozo de mais gozar.

Quem sabe a visão da cegueira
nos possa fazer pedir luz...
E assumir a herança do filho:
- o jugo suave que mata o escravo.

É Páscoa. Sim, é Páscoa!
Mas nós, que não sabemos da Vida,
Ainda sonhamos apenas com remover a pedra do sepulcro.

E Ele? E Ele onde está?
Onde está aquele Deus(?), o tolo que viveu há dois mil anos
e se deixou pregar numa Cruz?

Deve estar em alguma capa de revista.
Porque, por incrível que pareça!,
Ele é sempre capa de revista.




Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Sueli Caramello Uliano - Portal da Família
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

quarta-feira, março 24, 2010

BBB-10! PROGRAMA EDUCATIVO?

NOTÍCIAS PELO MUNDO







A SILENCIOSA INVESTIDA DA REDE GLOBO

Em determinado momento do programa, o apresentar com grande euforia disse: "Esse Nosso Programa Educativo!". Voce concorda? Vamos rogar ao Pai em orações e, passo a narrar preciosas considerações sobre o "Tão Educativo Programa".

Programação da Rede Globo, do padrão de qualidade, da audiência, do investimento gigantesco em publicidade e das inúmeras repetidoras espalhadas no Brasil e no mundo. Acontece que a Globo, com todo esse poder de penetração na sociedade e dentro de nossas casas, vem introduzindo, silenciosamente, uma cultura de libertinagem, traição, adultério e rompimento com a célula familiar de forma sutil.
=
Com o advento do BBB10 a Globo conseguiu o que ela vinha tentando há muito tempo, o beijo gay ao vivo. Em duas cenas do BBB 10 aconteceram 2 beijos Gay e quando um deles foi "líder" a produção do programa teve o cuidado de colocar sobre uma estante a foto do beijo, com isso a Globo faz com que seus fiéis telespectadores veja o beijo gay como algo comum e engraçado, ou seja, aceitável. Agora, nas novelas globais o beijo gay vai acontecer induzindo esse comportamento aos jovens e adolescentes, induzindo legisladores a criarem leis que abonem tal comportamento.
=
No mesmo BBB 10, uma das participantes declarou-se lésbica e com essa declaração todas as demais mulheres do programa se aproximaram dela sendo protagonizado o selinho lésbico no programa e todos os demais a apoiaram sob o manto sagrado do não preconceito. Na novela Viver a Vida o tema principal mostrado de forma engraçada e aceitável é a da traição e do adultério.

A Globo leva ao telespectador ao absurdo de torcer para que um irmão traia o outro ficando com sua namorada. A traição nessa novela é a mola mestra da máquina, todos os personagens se traem, e isso é mostrado de forma comum, simples, corriqueiro. Mas talvez, a investida mais evidente e absurda esta na novela das 6h, Cama de Gato. A Globo superou todos os limites nessa novela ao colocar como tema uma música do grupo Titãs. Na música, nenhuma linha de sua letra se consegue tirar algo de poético, de aconselhável pra vida ou de apoio. A letra da música faz menção descarada do Inimigo de nossas almas que deseja entrar em nossa casa (coração) e destruir tudo, tirar tudo do lugar (destruir a célula familiar e nossa fé).
=
A música chega ao absurdo de dizer que devemos voltar à mesma prisão, a mesma vida de morte que vivíamos.
=
Amados irmãos e amigos, fica o alerta, as vezes nem nos damos conta do real propósito de uma novela, de um programa, de uma música, e como Jesus esta às portas, as coisas do mal estão cada vez mais evidentes e claras. Até os incrédulos estão percebendo que algo esta errado.
=
Aproveito para trazer ao conhecimento a letra dessa música, cuidadosamente escolhida pela Globo para servir de tema da dita novela.




Vamos deixar que entrem Que invadam o seu lar
Pedir que quebrem Que acabem com seu bem-estar
Vamos pedir que quebrem O que eu construi pra mim
Que joguem lixo Que destruam o meu jardim

=
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
=
Vamos deixar que entrem Que invadam o meu quintal
Que sujem a casa E rasguem as roupas no varal
Vamos pedir que quebrem Sua sala de jantar
Que quebrem os móveis E queimem tudo o que restar

=
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro O mesmo desespero
=
Vamos deixar que entrem Como uma interrogação
Até os inocentes Aqui já não tem perdão
Vamos pedir que quebrem Destruir qualquer certeza
Até o que é mesmo belo Aqui já não tem beleza
Vamos deixar que entrem E fiquem com o que você tem
Até o que é de todos Já não é de ninguém
Pedir que quebrem mendigar pelas esquinas
Até o que é novo Já esta em ruínas
Vamos deixar que entrem Nada é como você pensa
Pedir que sentem Aos que entraram sem licença
Pedir que quebrem Que derrubem o meu muro
Atrás de tantas cercas Quem é que pode estar seguro?

=
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação - a falta de futuro
Eu quero o mesmo inferno A mesma cela de prisão - a falta de futuro O mesmo
desespero.


Imagine nossas crianças cantando isso? Trazendo isso pra dentro do coração e da alma dela? Tente imaginar de onde o compositor dessa pérola tirou inspiração para compor tamanha afronta?
=
Ai pergunto, parafraseando a própria Bíblia; pode porventura vir alguma coisa boa da Rede Globo?
Pense nisso, anuncie isso, faça conhecer, livre alguns dessa humilhação,dessa falta de futuro, dessa cela de prisão.




Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel

Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong

Epac Produções - Rilvan Stutz

Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

segunda-feira, março 22, 2010

SOMOS INDESCULPÁVEIS

EDIFICAÇÃO




Conhece-te a ti mesmo e o livre arbítrio. Leitura bíblica: Romanos 2.1 a 16 e Romanos 3.23
=
“Portanto, és indesculpável, ó homem, quando julgas, quem quer que seja; porque, no que julgas a outro, a ti mesmo te condenas; pois praticas as próprias coisas que condenas, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.” (Rm 2.1 e 3.23).
=
Para um tão grande pecador, uma tão grande e maravilhosa graça, graça de Jesus! O tema de hoje nos leva a reconhecer as consequências da Queda: Depravação total e falta de forças para auto ajuda, sem a ajuda do Alto. Somos o que somos pela Graça de Deus, quando regenerados; e somos o que somos sem a Graça de Deus, em virtude da nossa natureza carnal, adâmica, terrena e pervertida. A única saída é a da Graça, o único caminho é Cristo. Estamos aprendendo de fonte limpa que “a sabedoria integral está no conhecimento de Deus e do homem” Conhece-te a ti mesmo e busca a Deus e a Sua Palavra: não existe outra saída.
=
(I) CONHECE-TE A TI MESMO.
=
Não é sem motivo que o antigo sábio provérbio, “conhece-te a ti mesmo”, seja tão recomendado ao homem. Temos a tendência natural de nos justificar e de acusar ou censurar os outros. Uma fábula muito antiga diz que Júpiter, o pai dos deuses da mitologia greco-romana, colocou sobre os ombros dos mortais duas aljavas: a primeira, em nossa frente, bem em cima do nosso peito e debaixo dos nossos olhos, cheia dos defeitos alheios; a outra, nas nossas costas, cheia dos nossos próprios defeitos. É por isso que quando alguém erra, somos logo os censuradores dele.
=
O desconhecimento de nós mesmos é muito prejudicial. Quando buscamos a afirmação pessoal nas observações dos outros, gostamos da lisonja, só que elas são em extremo perigosas. Não devemos andar pela cabeça dos outros, é preciso pensar com a própria cabeça. Ao examinarmo-nos a nós mesmos devemos ter uma auto-estima equilibrada: saber do que somos capazes e estar conscientes das nossas limitações. Quem não se ama, não está em condições de amar a mais ninguém. Afinal a Bíblia é clara: “Amarás o teu próximo, como a ti mesmo.” Todavia, devemos evitar toda presunção de virtude pessoal, esvaziarmo-nos de nós próprios para sermos cheios do Espírito Santo e de sabedoria do Alto. Aí e só então chegar perto “do bem sentir e do bem fazer.”.
=
(II) CUIDADO COM A LÍNGUA LISONJEIRA!
=
Conscientes das consequências da Queda e da “depravação total” do se humano seremos mais humildes, dependeremos mais da Graça de Deus e nos tornaremos imunes aos que querem nos passar mel na boca com palavras doces e lisonjas, ainda que gostemos disso. A fome por lisonjas causa seus estragos e tem consequências. Diz Calvino, “Os seres humanos têm um amor desordenado e cego por si mesmos. São tão inclinados a gabar-se, que não há nada que possa agradar mais do que quando os afagam com vãs lisonjas.” Talvez seja por isso que aquele que mais exalta a excelência da natureza humana do outro – com lisonja ou massageando o ego do outro, o bajulador, para não usar um termo mais forte aparentemente é o que se dá bem.
=
(III) DE QUE SE ORGULHA O SER HUMANO?
=
A verdadeira sabedoria, a de Deus, que vem do Alto, é boa, pacífica e ordeira. O conhecimento de Deus, o conhecimento do homem com seu potencial, mas também com suas fraquezas e limitações e o livre arbítrio são caminhos para a sabedoria integral. João Calvino, nas Institutas, Livro I, Capítulo II, pág. 82, afirma: “O homem se conhece muito bem quando, confiante em seu entendimento e em sua virtude e poder, anima-se a dedicar-se ao cumprimento do seu dever, e, renunciando a todos os seus vícios e más disposições, esforça-se para fazer o que é bom e honesto.” E isto é ser ético, e ética é um princípio inegociável e que não pode ter fim.
=
Nada temos que não tenhamos recebido de alguém, em algum tempo e lugar: somos um produto inacabado, resultante das influências positivas e negativas sobre nós exercidas desde sempre. Não temos de que nos orgulhar, pelo contrário. Em primeiro lugar, devemos considerar o fim para o qual fomos criados por Deus e dotados de dons singulares. Em segundo plano, mas não menos importante, reconhecer a nossa indigência. A nossa condição primeira é a de criaturas. Conhecemos o bem e o mal, mas nem sempre sabemos optar pelo bem. Consequência da nossa desobediência a Deus e pelo fato de ter dado ouvidos à serpente e não a Deus. Herdamos uma natureza carnal, adâmica, terrena e pecaminosa. É uma herança maldita cultural e humana dos nossos pais. Diz Calvino, “tendo sido (a nossa natureza humana) maculada pelo pecado, essa infecção tenha se propagado sobre todos nós... o princípio da corrupção esteve de tal modo em Adão que ela se expandiu como que por uma torrente perpétua dos pais aos filhos.” (Pág. 87).
=
Todo novo ser humano que nasce já vem com defeito de fábrica. Em linha com o que o Espírito Santo nos diz no Salmo 51, na oração pessoal de confissão de pecados, feita por Davi: “Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe.” (Sl 51.5).
=
(IV) O QUE VEM A SER PECADO DE ORIGEM OU PECADO ORIGINAL?
=
O conceito está ligado à natureza adâmica, carnal e pecaminosa. Trazemos em nós as marcas do primeiro Adão, ser vivente; e precisamos trazer também as marcas do Senhor Jesus, na certeza que fomos batizados e inseridos nele, no seu Corpo, a Igreja. Ele é o segundo Adão, feito espírito vivificante e restaurador. É por isso mesmo que a Bíblia ensina e a Igreja crê e professa: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura (nova criação); as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” (II Co 5.17).
=
“O pecado original é uma corrupção e perversidade na nossa natureza, que nos faz culpados, primeiramente, da ira de Deus, tendo a seguir produzido em nós as obras que a Escritura chama “obras da carne.” (Rm 5.6 e 7; e Gl 5. 19 a 21) Definição do Grande Reformador João Calvino, Institutas, Vol. I, Pág. 87).
=
(VI) CONCEITUAÇÃO DE “LIVRE ARBÍTRIO”
=
Em linha com Matthieu Verneuil, Jean Bourdell, Pierre Bourdon e André de Lafon, Huguenotes-calvinistas, leigos – subscritores da “Confessio Fluminensis”, a Confissão de Fé dos Mártires da Baía de Guanabara, que afirmaram ter sido “o livre arbítrio” prerrogativa dos nossos primeiros pais, antes da Queda, na idade da inocência da humanidade. Com a Queda e à luz da Depravação Total do ser humano, perdeu-se o livre arbítrio. Jesus mesmo ensinou: “Todo o que comete pecado é escravo do pecado.” Rm 8.34 B. O texto de Efésios 2.1 também confirma a perda do Livre arbítrio pelo não regenerado: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados.” Morto não fala, não escolhe, não decide; não tem livre arbítrio, é escravo do pecado.
=
O regenerado reconquista o livre arbítrio porque nasceu de novo, foi libertado por Jesus Cristo. Em João 8.36 ele declara: “Se, pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”. Os Huguenotes, na Confessio Fluminensis”, Artigo X, disseram: “Quanto ao livre arbítrio, cremos que, se o primeiro homem, criado à imagem de Deus, teve liberdade e vontade, tanto para o bem como para o mal, só ele conheceu o que era livre arbítrio, estando em sua integridade. Ora, ele nem apenas guardou este dom de Deus, assim como dele foi privado por seu pecado, e todos os que descendem dele, de sorte que nenhum da semente de Adão tem uma centelha do bem.
=
Por esta causa, diz Paulo, “o homem natural não entende as coisas que são de Deus.” E Oséias clama aos filhos de Israel: “Tua perdição é de ti, ó Israel”. Ora isto entendemos do homem que não é regenerado pelo Santo Espírito.
=
Quanto ao homem cristão, batizado no sangue de Jesus Cristo, o qual caminha em novidade de vida, nosso Senhor Jesus Cristo restitui nele o livre arbítrio e reforma a vontade para todas as boas obras, não todavia em perfeição, porque a execução de boa vontade não está em seu poder, mas vem de Deus, como amplamente este santo apóstolo declara, no sétimo capítulo aos Romanos, dizendo: “Tenho o querer, mas em mim não acho o realizar”.
=
O homem predestinado para a vida eterna, embora peque por fragilidade humana, todavia não pode cair em impenitência. A este propósito, João diz que ele não peca, porque a unção permanece nele.”. Orígenes, um dos Pais da Igreja, definiu assim: “o livre arbítrio é uma faculdade da razão pela qual se pode discernir o bem e o mal, e da vontade, pela qual se pode escolher um ou o outro.” Já Agostinho, bispo de Hipona e também um dos Pais da Igreja, assim se expressa: “É uma faculdade da razão e da vontade pelo qual se escolhe o bem, quando se tem a assistência da graça de Deus; ou o mal, quando não se tem essa assistência.”
=
Amados irmãos, “Somos indesculpáveis” por todos os títulos, principalmente, nós os regenerados, porque a Palavra é clara, quando diz: “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.” Guarde este estudo dentro de sua Bíblia.




Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Rev. Guilhermino Cunha - Catedral
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

QUEM CASA QUER CASA? OU QUER LAR?

MENSAGEM


Acordei aborrecido. Todos foram para a fazenda. Sentei-me ao lado da piscina. Vejo o madeiramento da varanda quase se encostando à mangueira. O barulho da água e o cri-cri do pássaro no ninho me irritam um pouco. Os carros na garagem ... não sei onde guardei as chaves. Não importa. Resolvi dispensar os empregados. Está tudo muito cinza. O envidraçado do salão de jogos, fechado. A sala de musculação, ainda aberta desde a última sexta. Engraçado... olho para os lados e vejo que tudo o que todos procuram está tão perto de mim e ao mesmo tempo me parece tão distante.
=
Há um grande vazio até onde meus olhos vêem e o pensamento alcança. Passaram-se nervosos 40 minutos nessa cadeira. Hoje será eterno.
=
Tocaram a companhia. Deve ser o jardineiro; acho que não vou atender. Insistente em demasia. Ouço vozes de crianças. São meus filhos. Desistiram da viagem. Abraços, beijos correria. Não sei o porquê, mas o ar parece diferente. Mais leve. A água da piscina parece mais azul. Chamei minha filha; que tal dar-mos uma olhadela naquele ninho? Será que nasceram novos filhotes? Uma felicidade toma conta de meu peito.
=
Sinto que sem a minha família nada tem sentido. Lembrei-me que outro dia li no livro do Deppack Chopra, - “As Sete Leis Espirituais Para O Sucesso” - que tudo que precisamos para que sejamos felizes é de graça. Acho que é verdade. Dinheiro, bens... são coisas necessárias, mas compreensão, amor, carinho, afeto, saúde, amizade e paz são coisas que não tem preço. São essas coisas e essas pessoas que nos movem a alcançar objetivos.
=
Decidi que devo trabalhar menos e curtir mais o hoje, retribuir o carinho, ouvir a reclamação, olhar mais para fundo dos olhos das pessoas, dar bom dia aqueles que não se conhecem, ler um gibi do cascão, jogar fora a página do jornal que trata de violência, dar a partida no carro e ir para lugar algum.
=
Essa minha experiência de hoje me fez sentir que eu preciso dos outros, eu preciso do mundo e talvez outros e o mundo precisem de mim. Eu preciso estar à disposição para que estejam à minha disposição. A minha saúde e a saúde da minha família está no lar, na união. Tudo são os olhos de quem o vê. Agora sinto que tudo tem mais cor e em tudo há mais vida. Este será um graaaannde dia.
=
“Paz e harmonia: eis a verdadeira riqueza de uma família”.
(Benjamin Franklin)







Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Portal da Família - Jorge Gaidarj
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

domingo, março 21, 2010

ENERGIA NUCLEAR VOLTA À TONA

NOTÍCIAS PELO MUNDO

As questões referentes a formatos de energia, já no centro das discussões quando o tema são mudanças climáticas, também por isso alimentam algumas das mais complexas polêmicas de hoje principalmente a da energia nuclear. E o combustível mais inflamável dessa polêmica é o mais recente livro de James Lovelock, "pai" da "Teoria Gaia", que entende o universo como um organismo vivo. Lovelock, que já foi adversário acirrado da energia nuclear, agora pensa (Gaia: Alerta Final, Editora Intrínseca, 2010) que não há tempo para esperar outro formato eficaz de redução nas emissões de poluentes, a não ser a energia nuclear.
=
Considera pequenos os riscos de acidentes na operação (no pior desastre, Chernobyl, morreram 70 pessoas, diz). Quanto à falta de destinação para os perigosos resíduos das usinas, afirma que o lixo nuclear de uma geradora de mil MW "cabe num táxi", e terá sua radioatividade comparável à do urânio natural em 600 anos. Mas ressalva que não considera a energia nuclear a melhor opção para o Brasil, que tem feito "um bom trabalho com hidrelétricas"; só para países populosos com restrições de espaço.
=
Seja como for, há uma ofensiva no mundo em favor da energia nuclear. Mas também surgem estudos - até estritamente econômicos - para apontar seus problemas e sua inviabilidade. Segundo a Agência Internacional de Energia Atômica, hoje há 53 usinas nucleares em construção no mundo, para gerar 47.223 MW até 2017. Elas se somarão às 436 em operação, com 370.304 MW, que correspondem a 17% da energia total.
=
A elas se devem juntar mais 135 em fase de planejamento (148 mil MW), que elevarão a potência instalada em 50%. China (16 usinas), Grã-Bretanha (10), Rússia (9), Índia e Coreia do Sul (6 cada), Bulgária, Ucrânia, Eslováquia, Japão e Taiwan (2 cada) são os países com maior número de projetos (O Globo, 25/1). Mas nos EUA, com mais uma usina em construção (já tem 104, ou 19% da energia total), o presidente Barack Obama anunciou em fevereiro medidas que estimularão esse setor. Ao todo, US$ 54,5 bilhões para várias usinas - embora haja muitas controvérsias internas, já que não há destinação final para resíduos, que continuam armazenados em "piscinas" nas próprias geradoras (o depósito "final" em implantação sob a Serra Nevada continua embargado pela Justiça).
=
Os Emirados Árabes Unidos tocam seu projeto, assim como a Argentina, a Finlândia, a França, o Irã, a Indonésia. Na Itália, que renunciou à energia nuclear em 1987, o primeiro-ministro Silvio Berlusconi está oferecendo incentivos financeiros a municípios que aceitem novas usinas. O argumento central é o de que a Itália importa 85% da energia que consome. Por aqui, o presidente da República e a ministra Dilma Rousseff continuam a defender novas usinas, além de Angra 3, que já teve licença prévia do Ministério do Meio Ambiente. Seu argumento principal é de que sem elas teremos problemas de abastecimento de energia, por causa das "dificuldades ambientais" no licenciamento de hidrelétricas. Só não se sabe ainda onde serão e quantas (fala-se de 4 a 8). Mas isso não elimina polêmicas.
=
Ainda por ocasião dos mais recentes deslizamentos de terra e mortes que levaram à interdição da BR-101 perto de Angra dos Reis, o prefeito dessa cidade pediu o fechamento de Angra 1 e 2, argumentando que não haveria como evacuar a população se um deslizamento ameaçasse uma das usinas. Não foi atendido. E num recente programa Roda Viva, na TV Cultura de São Paulo, o professor Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, que será o coordenador da política científica brasileira na área do clima, ao comentar números sobre a elevação do nível do mar no litoral fluminense, respondeu que se deveria ter muito cuidado no licenciamento de Angra 3, tendo em vista essa questão e os depósitos de lixo nuclear nas duas usinas já em funcionamento.
=
Mas a questão da segurança não é a única polêmica.
=
Na Europa, nova discussão está em curso, após a divulgação (IPS/Envolverde, 27/2) de estudo do Citibank, sobre riscos tecnológicos e financeiros dos projetos nucleares. Diz ele - New Nuclear - the economics say no - que esses riscos são tão altos que "podem derrubar financeiramente as maiores empresas de serviços públicos. Uma usina de mil MW, afirma, pode custar US$ 7,6 bilhões e levar 20 anos para dar lucro - impraticável para empresas. Entre nós, as notícias sobre investimentos no setor de energia ainda não contabilizam futuros projetos na área a não ser Angra 3. Segundo o BNDES (Estado, 28/2), os novos projetos de geração, transmissão e distribuição de energia no País absorverão 33,6% dos R$ 274 bilhões que serão investidos na infraestrutura em quatro anos. Aí se incluem R$ 20 bilhões para as usinas do Rio Madeira, R$ 8 bilhões para Belo Monte e R$ 8 bilhões para usinas eólicas. Mas a Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia afirma (Agência Estado, 28/2) que as tarifas no setor no Brasil só perdem para as da Alemanha; as residenciais são mais altas que as da Noruega (US$ 184 por MWh ante US$ 48), enquanto as industriais aqui chegam a US$ 138 por MWh, ante US$ 68 no Canadá.
=
Outra polêmica entre nós está no licenciamento e na implantação de usinas termoelétricas muito poluentes, também com o argumento de que é preciso tê-las de reserva, para a hipótese de a oferta de energia não ser ampliada. O BNDES em 2009 financiou R$ 2,6 bilhões para projetos nessa área, mais de metade do total destinado ao setor elétrico, contemplando projetos de 30 mil MW de energia térmica para serem implantados até 2030. (Folha de S.Paulo, 20/12/2009).
=
E tudo continuará nesse terreno da polêmica enquanto o governo federal não se dispuser a debater com a sociedade nosso modelo de energia. Uma boa oportunidade poderá ser o novo Plano Decenal de Energia, cuja discussão, em princípio, está programada para as próximas semanas.





Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Washington Novaes - O Estadão Artigos
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

quarta-feira, março 17, 2010

CICLO PERVERSO

Notícias Pelo Mundo


O " ciclo perverso" sempre representa um padrão psíquico e repetitivo, geralmente reproduzido com pessoas difíceis e problemáticas que são íntimas do nosso convívio (cônjuges, filhos, pais e amigos entre outros) e que tem a pretensão de mudar aquilo que não está ao nosso alcance. O ciclo consiste em três papéis determinados, que se repetem num espaço de tempo que varia de pessoa para pessoa; são eles.
=
1 - SALVADOR: neste papel, o indivíduo tenta resgatar o outro de um conflito ou de uma situação crítica a qualquer custo; durante o exercício deste papel ele pode ter as seguintes sensações: pena do outro, culpa por não ter não ter competência suficiente para aquela ação, santidade (compromisso "espiritual" com o outro), ansiedade por querer recuperar todo o bem perdido pelo infeliz, raiva por achar que talvez tenha sido forçado àquela situação, medo pela responsabilidade de resgatar alguém, frustração por não ter certeza entre o limite de ajudar e invadir o outro.
=
2 - VÍTIMA: é o segundo papel, iniciam-se quando julgamos ter reabilitado a criatura a quem ajudamos, porém constatamos que ela não se comporta como orientamos e nem demonstra gratidão pela dedicação à sua causa. Sentimos a partir daí um misto de: impotência, arrependimento, abandono, cansaço, vergonha, depressão e humilhação.
=
3 - ATORMENTADOR: no terceiro papel, reclamamos e exigimos o cumprimento dos nossos conselhos; perseguimos e cobramos de modo incessante, utilizando toda nossa indignação e raiva por não terem nos obedecidos. Aqui se encerram ao mesmo tempo iniciam-se o ciclo do "salvacionismo", o ciclo perverso. Neste texto, o autor deixa claro que, enquanto tentamos "ajudar ao próximo", nesse esquema mental de forçar a mudança do sentir, do pensar e do agir do outro, somos levados a descuidar da nossa própria existência, da nossa própria evolução. Além do que, na verdade "só podemos modificar a nós mesmos".





Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Alexandra Fernandes - Francisco E.S. Neto
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

Rádio Rei dos Reis