Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

terça-feira, julho 30, 2013

PREVENÇÃO DE DOENÇAS














Esta lição tem o propósito de lembrar-nos de que devemos colocar em prática os princípios de prevenção de doenças, a fim de permanecermos saudáveis.

Antigamente, as pessoas não conheciam as causas das doenças e pensavam que elas eram resultado de maldades cometidas, da necessidade de sacrifícios ou de maldições. 

Após séculos de estudos, os cientistas e médicos descobriram a causa de grande parte das doenças. 

Desde que o evangelho foi restaurado na Terra em 1830, muito conhecimento foi adquirido, pois o Espírito do Senhor tem-se espalhado por sobre a Terra. 

Muitas descobertas novas foram feitas para ajudar-nos a sermos mais saudáveis. Como adultos, precisamos saber e fazer as coisas que nos ajudam a ser saudáveis. 

Devemos também ensiná-las a nossos filhos e mostrar aos nossos familiares como ter uma atitude correta em relação à saúde. 

Existem pais que dizem a seus filhos que vão aplicar-lhes uma injeção caso não se comportem. Isso não é bom, pois faz com que as crianças considerem o cuidado da saúde como sinônimo de punição.

Nesta aula, analisaremos algumas das coisas que nos ajudam a permanecer saudáveis.

O CONTROLE DOS MICRÓBIOS AJUDA A PREVENIR AS DOENÇAS

Os micróbios são seres vivos muito pequeninos que podem causar doenças. Alguns deles passam de uma pessoa para a outra. Outros passam dos animais para as pessoas. 

Os micróbios causam muitos e diferentes tipos de enfermidades quando penetram no nosso corpo. 

Eles vivem e se desenvolvem rapidamente nos lugares quentes, úmidos e escuros. Crescem nos animais ou nas fezes de animais ou pessoas, e é necessário que não lhes proporcionemos condições de vida.

• O que podemos fazer para não dar condições de vida aos micróbios?  Acrescente as seguintes sugestões àquelas apresentadas abaixo:

DEVEMOS MANTER OS INSETOS FORA DE CASA

Uma das formas de se manter os insetos fora de casa é colocar telas nas janelas e nas portas, sempre que possível. Essas telas devem estar sempre em bom estado, principalmente durante o verão.

LIMPAR O LUGAR ONDE VIVEM OS MICRÓBIOS

As áreas em que cozinhamos, tomamos banho ou lavamos roupa são freqüentemente úmidas. Existem meios de conservá-las mais secas. As áreas úmidas são um problema, especialmente quando aquecidas. 

Embora os raios do sol sejam quentes, eles ajudam a impedir o crescimento dos micróbios.

Quais os itens que ocasionalmente poderiam ser colocados ao sol, para ajudar a impedir que os micróbios proliferem?

COMO NOS LIVRARMOS ADEQUADAMENTE DE MATERIAL FECAL

Os micróbios vivem nas fezes tanto de animais como de pessoas. Quando as deixamos expostas, as moscas pousam sobre elas, recolhendo micróbios nos pêlos de suas patas. 

Quando as moscas pousam em outro lugar, esses micróbios são deixados no lugar em que pousaram.

Como podemos livrar-nos de material fecal? 

(Usando uma latrina ou banheiro, em se tratando de fezes humanas. Conservando os animais em chiqueiros ou estrebarias; enterrando na horta as fezes de animais que não comem carne; cobrindo-as com terra, tela ou tampas, de modo que as moscas não pousem em cima.)

DEVEMOS PROTEGER OS ALIMENTOS DOS INSETOS

Devemos colocar as sobras de comida em um lugar fechado, onde os insetos não possam penetrar.  Se você tiver um lugar fresco, coloque os alimentos nele. 

Os alimentos podem ser conservados frescos em uma geladeira ou caixa de isopor com gelo. 

Uma vez que os micróbios podem ser levados pelo vento, devemos manter os alimentos cobertos. 

Em alguns climas tropicais, é melhor armazenar a comida num armário com porta de treliça.

AS VACINAS AJUDAM A PREVENIR AS DOENÇAS

Podemos proteger-nos a nós mesmos e a nossa família de algumas doenças sendo vacinados. 

Para algumas doenças é necessário apenas uma dose de vacina, mas para outras podemos necessitar de várias doses, a determinados intervalos de tempo. 

A poliomielite é uma doença que já foi bem comum, porém, há muitos anos, um cientista descobriu um meio de proteger-nos dela. 

Ele desenvolveu uma vacina que nos protege contra essa enfermidade que já matou muitas pessoas e aleijou outras tantas. 

Na maior parte do mundo, as pessoas podem ser vacinadas em um posto de saúde ou numa clínica, por um médico.

Quais as doenças mais comuns em sua localidade?

Quais as vacinas que os médicos ou funcionários dos centros de saúde recomendam?

Com que frequência devem ser usadas? 

O que você pode fazer para conseguir a imunização necessária para proteger sua família? 

Diga às irmãs quando e onde são dadas as vacinas e sugira que as irmãs se disponham a tomá-las.

PRÁTICAS SAUDÁVEIS AJUDAM-NOS A PREVENIR AS DOENÇAS

Podemos desenvolver hábitos que nos proporcionarão uma saúde melhor. Alguns desses hábitos são: dormir o suficiente à noite, comer uma variedade adequada de alimentos e fazer exercícios diários. 

Também necessitamos de bons hábitos sanitários. 

Tomar banhos regulares, escovar os dentes, fazer uso do fio dental depois de cada refeição, lavar as mãos depois de usar o toalete e cobrir a boca ao espirrar, também são bons hábitos a serem seguidos. 

Nos climas tropicais, todos devem usar sandálias ou outro tipo de calçado para impedir infecções.

Peça às irmãs que contem como aprenderam ou ensinaram seus familiares a praticar bons hábitos de saúde.

O QUE DEVEMOS FAZER QUANDO FICAMOS DOENTES

As enfermidades geralmente causam uma grande mudança na nossa aparência, no modo de sentir ou agir. 

Mudanças súbitas ou extremas são freqüentemente sinais de que algo está errado.

Dores, febre, calafrios, perda de apetite, náusea, palidez, tontura, fraqueza, erupção de pele, coceira, inchaço e diarréia são sinais de doença.

Se ficarmos doentes, devemos procurar uma clínica ou um médico, para descobrir como podemos ficar curados. 

As bênçãos do sacerdócio também podem ajudar-nos. 

O Senhor espera que façamos a nossa parte antes de recebermos as bênçãos.Devemos permitir que um médico nos oriente na cura de nossas doenças. 

Em seguida, devemos acrescentar boas práticas de saúde, nossa fé, orações e as bênçãos do sacerdócio. Se fizermos essas coisas, poderemos sobrepujar muitas doenças. O que podemos fazer hoje ou esta semana para evitar as doenças?

CONCLUSÃO

Somos os trabalhadores da vinha do Senhor nesta Terra e para servi-Lo eficientemente precisamos ter boa saúde. Podemos ajudar a construir Sião se tivermos saúde e criarmos filhos saudáveis.

O Senhor nos concedeu muitas maneiras de prevenir doenças e enfermidades e espera que sejamos sábios em tudo o que fizermos. 

Por outro lado, Ele espera também que cuidemos daqueles que estão doentes e prometeu-nos que por meio da fé, da oração e do poder do sacerdócio, podemos ser curados de acordo com Sua vontade. 

O Presidente Brigham Young ensinou: “Procuremos portanto ampliar ao máximo a vida presente, observando todas as leis de saúde, preparando-nos para uma vida melhor pelo correto equilíbrio entre o trabalho, estudo, repouso e recreação. 

Ensinemos esses princípios a nossos filhos”. [Discursos de Brigham Young, sel. John A. Widtsoe (1954), p. 186]

DESAFIO

Use os métodos apresentados nesta lição para ensinar seus familiares a colocarem em prática os princípios de prevenção de doenças, para poderem preservar a saúde. 



 


Holdings - Tel Aviv - Jafra - Israel
O Blog " A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz " O Servo com Cristo"
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro
Fonte Terra - Artigos

segunda-feira, julho 29, 2013

CASTANHA-DO-PARÁ AJUDA A COMBATER A CÁRIE


Cuidando da Saúde
 










Um estudo feito pela dentista Cintia Filogônio na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais mostrou que a adição de 10% de óleo de castanha-do-Pará ou de um óleo mineral (parafina líquida) à composição das pastas de dente comerciais pode prevenir cárie e doenças periodontais.

Um estudo feito pela dentista Cintia Filogônio na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais mostrou que a adição de 10% de óleo de castanha-do-Pará ou de um óleo mineral (parafina líquida) à composição das pastas de dente comerciais pode prevenir cárie e doenças periodontais.

A castanha-do-pará com toda sua gama de benefícios já caiu no gosto popular há algum tempo. Além de retardar o envelhecimento, a oleaginosa é aliada da saúde bucal. Um estudo feito pela dentista Cintia Filogônio na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais mostrou que a adição de 10% de óleo de castanha-do-Pará ou de um óleo mineral (parafina líquida) à composição das pastas de dente comerciais pode prevenir cárie e doenças periodontais.

Durante três meses, 30 pessoas usaram três tipos de pastas com formulação diferente. 

Um grupo escovou os dentes com um creme dental disponível no mercado, sem qualquer alteração na fórmula. Outro usou a mesma pasta com óleo de castanha e um terceiro experimentou o produto com óleo mineral.

A conclusão foi que as versões com óleo mineral e com óleo da castanha-do-Pará fortaleceu a barreira que protege os dentes das bactérias que formam o biofilme dental, que aumenta a incidência de cárie e gengivite. "Os óleos ajudam a formar uma película sobre os dentes, reduzindo a capacidade de as bactérias grudarem neles", explica Cintia.

Enxaguares Bucais

O estudo também conclui que os óleos essenciais — obtidos de fonte mineral e vegetal — contidos em enxaguares bucais proporcionam benefícios significativos quando aliados à escovação. Eles foram considerados, inclusive, tão eficazes na redução dos micro-organismos que ficam entre os dentes quanto o uso isolado do fio dental. Ainda assim, não é possível sugerir que seja feita essa substituição.

Bochechos com óleos essenciais uma ou duas vezes ao dia demonstraram mais reduções, após 14 dias de uso, na permanência dos efeitos de redução de micro-organismos na boca. 

Os enxaguares anti placas e anti gengivites contendo os óleos também tiveram efeito anti microbiano, comprovando que o controle do biofilme da gengiva influencia na progressão da periodontite.

A pesquisa também cita que, como a halitose também está associada ao biofilme dental, os óleos essenciais reduzem o nível de odor por períodos de até duas horas.

Um estudo feito pela dentista Cintia Filogônio na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais mostrou que a adição de 10% de óleo de castanha-do-Pará ou de um óleo mineral (parafina líquida) à composição das pastas de dente comerciais pode prevenir cárie e doenças periodontais.

Durante três meses, 30 pessoas usaram três tipos de pastas com formulação diferente. Um grupo escovou os dentes com um creme dental disponível no mercado, sem qualquer alteração na fórmula. Outro usou a mesma pasta com óleo de castanha e um terceiro experimentou o produto com óleo mineral..

A conclusão foi que as versões com óleo mineral e com óleo da castanha-do-Pará fortaleceu a barreira que protege os dentes das bactérias que formam o biofilme dental, que aumenta a incidência de cárie e gengivite.

Os óleos ajudam a formar uma película sobre os dentes, reduzindo a capacidade de as bactérias grudarem neles.

Bochechos com óleos essenciais uma ou duas vezes ao dia demonstraram mais reduções, após 14 dias de uso, na permanência dos efeitos de redução de micro-organismos na boca.

Um estudo feito pela dentista Cintia Filogônio na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais mostrou que a adição de 10% de óleo de castanha-do-Pará ou de um óleo mineral (parafina líquida) à composição das pastas de dente comerciais pode prevenir cárie e doenças periodontais.







Holdings - Tel Aviv - Jafra - Israel
O Blog - A Serviço do Senhor "
Diácono Rilvan Stutz " O Servo com Cristo "
Membro do Portal Shvoong 
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro
Fonte - Terra - Artigos

sexta-feira, julho 26, 2013

CONHEÇA RISCOS E BENEFÍCIOS DO CLAREAMENTO EM 1 HORA



CUIDANDO DA SAÚDE













Apesar da comodidade de fazer o clareamento caseiro, optar pelo consultório pode ser sinônimo de segurança e economia de tempo.
De 45 minutos a uma hora é quanto se leva para clarear o sorriso na cadeira do profissional, enquanto em casa leva-se, em média, três semanas.

A rapidez no resultado se dá pelo produto usado gel à base de peróxido de hidrogênio e pelo uso de luzes LED ou Laser são as mais comuns. 
Outro ponto é que a concentração da substância usada pelo profissional é mais forte.

No método caseiro, o gel usado é o peróxido de carbamida mais fraco que o do consultório. 

O paciente recebe uma moldeira feita sob medida e é orientado a dormir com ela ou usá-la duas vezes ao dia, e repetir o processo por alguns dias.

A rapidez no resultado se dá pelo produto usado gel à base de peróxido de hidrogênio e pelo uso de luzes LED ou Laser são as mais comuns. 

Outro ponto é que a concentração da substância usada pelo profissional é mais forte.

Mesmo clareando os dentes em casa é preciso ter o acompanhamento de um profissional e seguir criteriosamente suas instruções. Sem acompanhamento profissional, o clareamento pode provocar úlceras nas mucosas, gengivite, perda de papila (gengiva entre os dentes).

Hoje é fácil conquistar um sorriso mais branco. 

No dentista ou em casa, os resultados são satisfatórios. 

Apesar da comodidade de fazer o procedimento no conforto do lar, optar pelo consultório pode ser sinônimo de segurança e economia de tempo. 

De 45 minutos a uma hora é quanto se leva para clarear o sorriso na cadeira do profissional, enquanto em casa leva-se, em média, três semanas.

A rapidez no resultado se dá pelo produto usado – gel à base de peróxido de hidrogênio – e pelo uso de luzes – LED ou Laser são as mais comuns. 

Outro ponto é que a concentração da substância usada pelo profissional é mais forte. 

O dentista também terá o cuidado de proteger lábios e gengivas para que não haja contato na hora da aplicação.

No método caseiro, o gel usado é o peróxido de carbamida mais fraco que o do consultório. O paciente recebe uma moldeira feita sob medida e é orientado a dormir com ela ou usá-la duas vezes ao dia, e repetir o processo por alguns dias.

Segundo o especialista em odontologia estética, Mauro Piragibe, consultor científico da Associação Brasileira de Odontologia, mesmo clareando os dentes em casa é preciso ter o acompanhamento de um profissional e seguir criteriosamente suas instruções. 

“Sem acompanhamento profissional, o clareamento pode provocar úlceras nas mucosas, gengivite, perda de papila (gengiva entre os dentes)”, diz Piragibe.

O tratamento é contraindicado para pacientes gestantes ou amamentando, com cárie, placa bacteriana, gengivite, ou outras doenças da boca. 

“O risco de ter sensibilidade nos dentes é maior em quem tem cárie”, explica o cirurgião-dentista Joel dos Santos.

Em média, o resultado dura dois anos, dependendo do estilo de vida do paciente. 

Para prolongá-lo é preciso evitar alimentos pigmentados, como café, refrigerante, chocolates e, principalmente, não fumar. 

Também é preciso fazer a higiene bucal adequada e manter as visitas regulares ao dentista.


 
 



 Holdings - Tel Aviv - Jafra - Israel
O Blog " A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz " O Servo com Cristo"
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro
Fonte Terra - Artigos
 

 













domingo, julho 21, 2013

O QUE TENHO A DIZER: “O GIGANTE ACORDOU?”



EDIFICAÇÃO


 



Pão e circo. Era a política adotada pelo antigo império romano. Consistia na distribuição gratuita de pão e no estabelecimento da diversão através dos jogos nas arenas. Muitos dos nossos irmãos em Cristo foram mortos trucidados por leões, decapitados, descerebrados, queimados vivos para deleite da multidão nos circos romanos. Garantida a diversão e a comida. Os governantes mantinham o povo calado aos seus descalabros.



Pão e circo. Esta também tem sido a estratégia histórica dos gerentes do Brasil. Ao longo dos governos que se sucedem, pão e circo têm sido os pilares da política, no que tange a população. O governo Lula acreditou que ao comprar o direito de organizar a copa do mundo e as olimpíadas, havia adquirido a tranquilidade do circo até o ano de 2016, já que as migalhas de pão já abasteciam o estômago dos brasileiros via programas de bolsas fartamente distribuídos.

Só que esta política tem um prazo de caducidade. E os mandatários não perceberam que o pavio do barril de pólvora estava tão curto. Na França esta política chegou ao fim com a explosão da Revolução Francesa. Conta-se que um dos estopins foi o desdém da imperatriz Maria Antonieta que, ao ser informado da revolta popular pela falta de pão, mandou que passassem a comer brioches. A partir daí começou uma série de protestos que culminaram com a tomada da bastilha e a Revolução que imprimiu no mundo os ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Não é o governo Lula ou Dilma que são os únicos responsáveis. A insatisfação toma conta desta nação desde os anos de chumbo, a frustrada campanha das “Diretas Já”, passando pelo impeachment que tirou um governo acusado de corrupção e colocou outro tão ou mais corrupto no lugar, pelo sociólogo progressista que mandou esquecer tudo o que havia escrito antes, chegando ao metalúrgico de origem humilde que se encantou com os rapapés do poder e a ex-guerrilheira que se submeteu docemente ao projeto de poder do seu mentor. Desde o governo de extrema direita de Fernando Collor até o que poderia ser chamado de ultra-esquerda de Dilma, já tentamos todos os espectros políticos.

Fato é que pão e circo continuam sendo as estratégias para os poderosos se manterem no poder e manter a população calada. Fato é que cada brasileiro trabalha em média cinco meses por ano como escravo para sustentar um sistema que só lhe dá pão e circo.

A copa da FIFA representou uma tapa na cara da população. Equivaleu, como estopim, aos brioches sugeridos por Maria Antonieta. O aumento das passagens de ônibus em São Paulo foi o fósforo que acendeu um paiol de indignação acumulada em décadas de descaso, muitas vezes sendo massa de manobra para sustentar projetos de poder. Aqueles que, vinte anos atrás, criticavam os excessos da repressão são os mesmos que agora comandam os excessos da polícia. Os que lutavam pelo direito de greve, são os mesmos que as reprimem sem demonstrar nenhuma sensibilidade. Por isso, até em cidades onde não houve aumento de preço dos transportes públicos, a população foi às ruas clamar por saúde, educação, segurança e, principalmente, respeito.

Nós somos cidadãos dos céus, mas não podemos nos fazer de surdos ao clamor dos oprimidos. Quando Martin Luther King Júnior tornou-se líder da marcha pelos direitos civis, ele estava cumprindo em sua vida as palavras de Cristo que nos chama a lutar pela justiça. Quando os avalistas do império britânico inspiraram o bloqueio dos navios negreiros, iniciando o processo de extinção da escravatura no mundo, estavam patrocinando a justiça. 

Quando o profeta Isaías escreveu sobre qual o jejum que agrada a Deus, ele estava pregando a justiça. Estes exemplos devem ser seguidos por nós.

Não estou convocando você a ir a passeatas, creio que é uma decisão que deve levar em conta cada situação e pessoas envolvidas, mas não podemos nem devemos nos omitir. Não desejo fazer desse espaço um palanque, mas sei que ser cristão nunca foi sinônimo de alienação, sempre significou lutar pela causa dos excluídos. Então lute por esse povo que sofre com o que estiver ao seu alcance: orar, interceder, protestar, trabalhar, pregar a Palavra, conscientizar. Mantenha acesa a chama que arde com fome e sede de justiça e que alimentou homens e mulheres de Deus no passado. Use os dons e talentos que Ele lhe deu.

Sei que há manipuladores, aproveitadores e todo tipo de canalhas que estão tentando se beneficiar deste momento. Não se pode esperar que mais de um milhão de pessoas fosse às ruas no país mais violento do mundo e não tenham vândalos e marginais infiltrados. Vândalos e marginais que também são retrato do descaso a que foi relegado este povo.

Sei que tudo isto pode ser o início de um novo país. Também sei que tem grande possibilidade de dar em nada, como outras manifestações ao longo da nossa história. Mas uma coisa não pode ser negada, a legitimidade da insatisfação popular que tem levado milhões a sair da segurança de sua casa para correr o risco de exigir um país melhor.


Chega de pão e circo.




 Holdings - Tel Aviv - Jafra - Israel
O Blog " A Serviço do Senhor "
Diác. Rilvan Stutz - "O Servo com Cristo "
GospelPrime - Colunista Pr.
 

Rádio Rei dos Reis