Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

quarta-feira, agosto 14, 2013

IMOBILIZAÇÃO DE FRATURAS





CUIDANDO DA SAÚDE







As fraturas são imobilizadas com talas rígidas que abrangem as articulações situadas imediatamente acima e abaixo da lesão.

Fraturas de pescoço e coluna

No caso de fraturas de pescoço ou de coluna vertebral, convém proceder a imobilização, total da vitima, para evitar possíveis lesões da medula.

Em todo o caso, se existir suspeita de uma lesão deste tipo, o melhor é proteger a vitima do frio e esperar até que chegue ajuda médica. Não se deve mover a vitima, exceto se for para assegurar a sua sobrevivência.

1. Coloca-se a vitima sobre uma superfície rígida procurando, move-la o menos possível.

2. Prende-se a vitima à superfície com ligaduras, ou material similar, desde que garanta o conforto e segurança da mesma.

Outras fraturas

Os diferentes tipos de imobilização ideal, para algumas das fraturas mais típicas são os seguintes:

Fratura da omoplata, clavícula ou do úmero: Chapa de Valpeau, braço junto ao corpo, cotovelo a 90º, pulso esticado, dedos descobertos.

Fratura do antebraço: cotovelo a 90º e pulso esticado.

Fratura de pulso: desde a base dos dedos até ao cotovelo, pulso esticado.

Fratura de dedos da mão: desde a ponta dos dedos até ao pulso, dedos em semi flexão.

Fratura do fêmur e pélvis: desde a base dos dedos do pé até ás costelas, anca e joelho estendido, tornozelo a 90º.

Fratura da tíbia e perônio: desde a base dos dedos do pé até a virilha, joelho estendido, tornozelo a 90º.


Fratura de tornozelo e pé: desde a base dos dedos até ao joelho, tornozelo em ângulo de 90º.







Holdings - Tel Aviv - Jafra - Israel
O Blog - " A Serviço do Senhor "
Diác. Rilvan Stutz "O Servo com Cristo"
A Sós Com Deus - Deus ainda Fala




Rádio Rei dos Reis