Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

quinta-feira, junho 19, 2008

O INÍCIO DO PECADO NO MUNDO


EDIFICAÇÃO
O HOMEM NO ESTADO DE PECADO

Livre para escolher entre a obediência a Deus e a desobediência, o homem, incitado pela serpente, tomou a decisão errada: desobedeceu. Começou, assim, no mundo, o pecado com todas as terríveis conseqüências. A narrativa limita-se a registrar o fato, nada nos informando da maneira ou razão da tentação nem de como apareceu o tentador no mundo, onde tudo o que Deus fizera, inclusive a serpente, era até então “muito bom” (Gn 1:31). Há vislumbres de alguma espécie de rebelião entre seres angélicos(Gn 6:1-8), o que, porém, apenas nos leva mais um passo atrás, sem nenhuma explicação da origem do mal.

As normas reconhecidas da hermenêutica não nos permite a inclusão aqui de opiniões expendidas sobre Is 14: 12-15 ou Ez 28, pois essas passagens tratam declaradamente, uma do rei da Babilônia (Is 14:4) e a outra do rei de Tiro, não passando de conjetura a “interpretação”de que vê nestas passagens a queda de um arcanjo que na rebelião se tornou o diabo (vd Séc.,d,vi,vii).

A NATUREZA DO PECADO

O mal, conforme observou Agostinho, é essencialmente negativo: é o deixar de seguir a orientação divina; é a não obediência diante do aviso que esclarece a vontade de Deus. Desse ponto de vista, o mal não tem “origem” no sentido normal do termo.

O homem, tentado a deixar de obedecer a Deus seguindo o bem (que é positivo), simplesmente tomou a decisão de abandonar sua lealdade a seu Criador.


Diácono Rilvan Stutz
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

UM ALVO QUE DEVEMOS ALCANÇAR



“Tu me farás ver os caminhos da vida; na Tua presença há plenitude de alegria, na Tua destra, delícias perpetuamente” ( Sl 16.11 )

Criou Deus os Céus e a terra. Tudo era perfeitamente maravilhoso, cheio de beleza de vida e vida em abundancia! Seus recursos intermináveis. Tudo conforme a vontade do Senhor. Criou tudo perfeito em condições para a vida, criou o homem segundo Sua Imagem e Semelhança e tudo foi inimitável, digamos: maravilhoso. O homem recebeu de Deus os seus limites e também a liberdade, o passaporte para a alegria plena, tudo conduzia o homem para uma alegria, hoje sentimos tão necessária, assim cumpria-se à vontade do Pai.

Sabemos a entrada do pecado no Paraíso e na vida do homem, alterou este propósito. Deus desejou e deseja uma boa condição de vida para homem. Não nos cabe pensar ou questionar, como seria bom este mundo sem a presença do pecado. É evidente que estaríamos vivendo e gozando o verdadeiro Paraíso presente até hoje. Precisamos entender e viver o que temos este presente mundo. Precisamos nos esforçar e suplicar ao Pai que nos de força para vencer, a vitória nos traz alegria, felicidade e isto, glorifica ao Pai. Sabemos o mundo nos traz muitas tristezas, mas podemos colher muita alegria, estando ao lado do Senhor, só Ele pode nos ajudar a encontrar os devidos caminhos com sabedoria, para vivermos ao lado da alegria, coloquemos o do Senhor em primeiro lugar em nossas vidas.

Uma das grandes virtudes da vida é a alegria. Considero-a como um Estado permanente de ânimo, ou um bom estado de espírito. É certo que há estímulos que impulsionam e estimulam a expressão de alegria interior. Por exemplo, quando se sabe que é amado, estimado, querido, isto soa como estímulo externo para que a alegria se expresse de modo ainda mais vivo eficaz melhorando a qualidade da vida.
Isto acontece com cada um de nós, ou melhor, deveria acontecer de forma mais expressiva em todos os momentos de nossas vidas. Em outro plano, quando uma vida é alcançada pelo espírito Santo de Deus, quando a Salvação de uma Alma se converte para Cristo, há alegria nos altos Céus! Assim sabendo vivemos em alegria por mais um motivo divino. Este momento de alegria total e irrestrito, a vida transformada, traz esta felicidade para os servos do Senhor, a mudança de vida, a iniciativa do ser humano, confirma a vontade do Pai através do Espírito Santo de Deus. A mudança, o novo homem é uma transformação preciosa aos olhos do Senhor, é pura alegria para os homens.

É necessário que os irmãos vivam em alegria! Já basta o dia o seu mal! Precisamos viver a alegria em família, no trabalho e principalmente na Igreja, nosso “ninho de crescimento”, este ninho que proporciona condição sábia para sermos exemplos. Também é certo que a perfeita união dos irmãos, transforma a tristeza em pura alegria, isto são momentos inesquecíveis em nossas vidas. Se pessoas que amam e recebem a retribuição amorosa somos amadas, sentem a presença Santa do Senhor.

Deus é o maior estímulo para o estado de alegria. O texto bíblico acima transcrito assevera que na presença de Deus há plenitude de alegria. Isto significa dizer que há em Deus, e somente nele, fatores que nos causam a alegria plena e permanente. Por exemplo, o verso cinco do Salmo 16, fala que o Senhor é a maior herança que podemos ter, no sete o salmista destaca a capacidade sublime do Senhor em dar conselho para a vida feliz versículo oito, destaca a segurança que há somente na presença do Senhor.

Tal segurança faz com que a mente e o corpo sejam afetados positivamente a ponto de terem descanso em meio às maiores tribulações desta difícil vida que enfrentamos. Outro fator considerável é estar bem com a sociedade, isto nos conforta nos sentimos melhor, é mais uma ponte para a felicidade.
Precisamos expressar da melhor forma possível a nossa alegria através do culto coletivo e individual. Precisamos como o salmista compartilhar a nossa alegria plena com as pessoas à nossa volta. Que as palavras de Paulo aos Filipenses 4.4 sejam as nossas palavras como expressão de nossa vida interior: “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos!” Ainda destaco o livro de Salmos, lá no capítulo 118, versículo 24, diz assim: “Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele”. Sabemos esta é à vontade do Senhor para todos os que O amam e vivem dentro da Sua verdade.

Diácono Rilvan Stutz
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro – Rio

O SIGNIFICADO DA CRUZ

-



EDIFICAÇÃO

A Teologia cristã é cristologia e, ainda mais especificamente no dizer de Lutero, é a teologia da Cruz. Todos o Novo Testamento testifica da verdade estarrecedora de um Messias crucificado, porém triunfante. Seu tema constante é a paixão vitoriosa do Filho de Deus.

Do princípio ao fim dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Os
Cristãos gloriavam-se no escândalo da Cruz. “Antes de tudo (diz Paulo) vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, de acordo com as Escrituras” (1 Co 15:3).

Que significa tudo isso? Que vem ser a Redenção? O tema é sem dúvida inesgotável; vamos, contudo, salientar alguns de seus aspectos fundamentais, de acordo com a Bíblia.

NA CRUZ, DEUS SE REVELA AO HOMEM

No momento em que Jesus entregou Seu espírito, “o véu do templo rasgou-se em duas partes, de alto a baixo(Mt 27:51; Lc 23:45). O véu ali se acha, há longos anos, vedando ao homem os últimos mistérios da religião e impedindo, simbolicamente, a saída de Deus ao encontro do pecador. Parecia que ali houvesse de permanecer para sempre e que, portanto, o homem jamais pudesse conhecer de perto a Deus.

Agora é rasgado o véu; Deus se dá a conhecer ao homem. A Cruz traz o homem para Deus, levando Deus ao homem(cf Hb 10: 19,20).


Diácono Rilvan Stutz


Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro - Rio

Rádio Rei dos Reis