Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

segunda-feira, setembro 29, 2014

AUTÊNTICO OU DISSIMULADO?




"Não me tenho assentado com homens falsos e com os dissimuladores não me associo" (Salmo 26:4).




"Não são as roupas finas que qualificam as pessoas que as usam. Uma roupa simples, usada com elegância, é mais admirada e obtém mais crédito aos olhos criteriosos e sensatos". (George Washington)

Muitas vezes nos esforçamos para demonstrar, exteriormente, uma qualidade que não possuímos no interior.

Queremos transmitir virtudes que não temos, uma  pureza que não é real, uma espiritualidade que  nunca experimentamos.

Não somos sinceros, nem autênticos, nem glorificamos verdadeiramente o nome de Jesus.

De que nos adianta fazer orações com belas e comoventes palavras se não temos comunhão com o Senhor?

De que adianta citarmos dezenas de versículos bíblicos de memória se não conhecemos a Bíblia e muito menos o Deus da Bíblia?

De que nos serve cantar solenemente um hino de louvor se ao sair andamos por outros caminhos em lugar de andar na presença de Cristo?

Um cristão verdadeiro não traz Jesus no exterior, escrito em uma blusa ou em um broche pregado no peito, mas, no seu coração.

Uma oração sincera não é proclamada em alta voz, no meio da Congregação, para ser ouvida por todos, mas, no silêncio de um lugar reservado, para que Aquele que buscamos, a ouça completamente.

A oração na igreja é para a intercessão por necessitados.

Às vezes usamos dois tipos de vestes - uma elegante na igreja e outra nem tanto, no mundo.

Às vezes transmitimos dois tipos de amor - um no meio dos irmãos reunidos conosco nos cultos e outro quando os encontramos, separados, em outros lugares.

Às vezes cultuamos a Deus de duas maneiras - uma na igreja e outra fora dela.

TEM VOCÊ SE VESTIDO DE HIPOCRISIA OU PREFERE A SIMPLICIDADE DE UMA VIDA AUTÊNTICA NA PRESENÇA DE DEUS?





Holdings – Tel Aviv – Jafra – Israel 
Diácono Rilvan Stutz “O Servo com Cristo” 
O Blog Rei dos Reis - “A Serviço do Senhor 
Portal Interlegis.gov.br – Direitos Humanos – Membro 
Instituto de Pesquisas (Arqueológicas) – Israel – Membro 
Academia de Natânea – Israel – Membro 
Portal Shvoong (Paulo Roberto Barbosa).







sábado, setembro 27, 2014

CORRIDAS CURTAS




"Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos  está proposta(Hebreus 12:1).        
   

"Perseverança não é uma longa corrida; são corridas curtas, uma após a outra". (Walter Elliott)

Muitas vezes perdemos nossa bênção porque não somos capazes de insistir na busca de nossos sonhos.

No primeiro imprevisto murmuramos, lamentamos a sorte e desistimos.
Não sabemos ser pacientes e não aprendemos que a melhor atitude após uma derrota é um reinício em busca da vitória almejada.

Se a nossa primeira tentativa resulta em fracasso, comecemos imediatamente a segunda.

Se esta resultar também em fracasso, comecemos outra... e outra... e outra... até que o fracasso se canse e ceda seu lugar à conquista que buscamos.

Se essa busca nos conduzir através de várias corridas, saibamos parar e recomeçar, quantas vezes forem necessárias.

O Senhor nos prometeu vitória.
Ela virá na hora que Deus determinar.

Se para nosso crescimento espiritual tivermos de lutar mais do que gostaríamos de lutar, que assim seja.

E que o nome de Jesus seja glorificado e que a nossa felicidade seja completa.

O Senhor nos chamou para sermos atletas de fé, prontos a correr com perseverança no centro de Sua vontade, a não desistir jamais diante de
qualquer obstáculo, a levantar após cada queda, mesmo que essas quedas sejam muitas.

Se um dia Lhe dissemos "sim", confiemos n’Ele, seguremos em Sua mão e prossigamos com determinação a carreira para o qual fomos chamados.

Se a sua tão almejada bênção parece estar ainda muito longe, não desista nunca.

Siga em frente e certamente a alcançará.





Holdings – Tel Aviv – Jafra – Israel 
Diácono Rilvan Stutz “O Servo com Cristo” 
O Blog Rei dos Reis - “A Serviço do Senhor 
Portal Interlegis.gov.br – Direitos Humanos – Membro 
Instituto de Pesquisas (Arqueológicas) – Israel – Membro 
Academia de Natânea – Israel – Membro 

Portal Shvoong (Paulo Roberto Barbosa).






sexta-feira, setembro 26, 2014

RAZÕES, SIM... DESCULPA, NÃO!




"Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida;
ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6).






"Nós temos quarenta milhões de razões para o fracasso, mas nem uma única desculpa". (Rudyard Kipling)

Nós temos muitas razões a declarar por nossas falhas, por nossos equívocos, por nossa intolerância, por nossa arrogância, por nossa vaidade, por nosso egoísmo, por nossa indiferença, por todos os nossos pecados.

Mas, não temos nenhuma desculpa a dar por não desejarmos o perdão dos pecados e a salvação em Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador.

Se andamos longe de Deus, Cristo nos mostra o Caminho. 
Se vivemos atolados até o pescoço em enganos e mentiras, Cristo nos mostra a Verdade.
Se estamos mortos para o amor, para a esperança, para a fé e para a felicidade, Cristo nos mostra a Vida - abundante e eterna.

Fracassamos, caímos e nos frustramos porque não temos Jesus no coração.

Ficamos angustiados e decepcionados com os amigos porque não conhecemos o verdadeiro Amigo, o Senhor Jesus.

Caminhamos sem rumo e sem proteção sob ventos e tempestades porque não temos o Abrigo certo... Jesus Cristo.

Existem, sim, milhares ou milhões de motivos para a nossa perdição, porém, não podemos dizer que a razão é o fato de não sabermos como evitar tudo isso.

Não temos essa desculpa!
Sabemos a solução e só não seremos transformados se não quisermos.

O Senhor está à nossa espera, de braços abertos, com muito amor e carinho, com um convite pessoal e definitivo: "Receba-Me e Eu estarei
sempre com você, sempre!"

Se você não se cansa de enumerar as muitas razões de suas frustrações e fracassos, pare de contá-las.

Abra o coração para o Senhor Jesus e passará a contar apenas as muitas razões de sua felicidade.





Holdings – Tel Aviv – Jafra – Israel 
Diácono Rilvan Stutz “O Servo com Cristo” 
O Blog Rei dos Reis - “A Serviço do Senhor 
Portal Interlegis.gov.br – Direitos Humanos – Membro 
Instituto de Pesquisas (Arqueológicas) – Israel – Membro 
Academia de Natânea – Israel – Membro 
Portal Shvoong (Paulo Roberto Barbosa).


 








quinta-feira, setembro 25, 2014

CONTENTES COM O MUITO OU COM O POUCO





"Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação" (Habacuque 3:17, 18).


"Quem não se contenta com o pouco, viverá perpetuamente em aflição".

Muitos de nós vivemos murmurando por todas as coisas.

Nunca estamos satisfeitos, sempre queremos mais e tudo é motivo para lamentos.

Por mais que tenhamos nossos desejos atendidos, não sabemos agradecer.

Afinal, nada é suficiente para saciar nossa ânsia de querer mais.

Se ganhamos uma roupa nova, logo temos nossas atenções voltadas para outra, mais em moda ou por causa das que nossos amigos adquiriram.

Se compramos um carro novo, não o queremos mais, porque nosso vizinho comprou um melhor.

Se realizamos o sonho de uma viagem ao Caribe, queixamo-nos porque um conhecido levou a família para um cruzeiro na Europa.

E assim levamos a vida, chorando, sofrendo, murmurando e cheios de angústia porque o muito que temos não nos satisfaz.

Sabemos que Jesus morreu na cruz por nós - queremos mais.

Temos plena consciência que Ele perdoou nossos pecados e escreveu nosso nome no Livro celestial - queremos mais.

Temos um bom emprego, uma vida confortável e tranquila, uma família maravilhosa e... queremos mais!

Só o fato de Cristo ser nosso Salvador e Senhor já é motivo mais que suficiente para nossa eterna gratidão e felicidade.

Sermos contados entre aqueles que se tornaram filhos de Deus já deveria nos motivar para viver cantando e dançando.

Aguardar o dia em que seremos recebidos como herdeiros do Senhor nas moradas eternas já bastaria para sermos as mais felizes criaturas.

Mas... queremos mais!

E por sempre querermos mais, nunca somos felizes, nunca descansamos em pastos verdes e águas tranquilas.

Nunca somos contados entre os  bem-aventurados do Senhor.

EU ESTOU MUITO CONTENTE E ESPERO QUE VOCÊ TAMBÉM ESTEJA COM O MUITO OU COM O POUCO QUE DEUS NOS DÁ.







Holdings – Tel Aviv – Jafra – Israel 
Diácono Rilvan Stutz “O Servo com Cristo” 
O Blog Rei dos Reis - “A Serviço do Senhor 
Portal Interlegis.gov.br – Direitos Humanos – Membro 
Instituto de Pesquisas (Arqueológicas) – Israel – Membro 
Academia de Natânea – Israel – Membro 

Portal Shvoong (Paulo Roberto Barbosa).


quarta-feira, setembro 24, 2014

O SAL DA VIDA




"Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte". 
(2º Coríntios 12:10).


"O desapontamento é, frequentemente, o sal da vida". (Theodore Parker)
Quando todos os nossos sonhos são realizados na primeira tentativa, acabamos esquecendo que nada teríamos conseguido sem a ajuda de nosso amado Deus. 

Julgamos que somos mais competentes que os outros, que somos mais puros e santos que os nossos irmãos, que qualquer coisa que desejarmos, seremos capazes de conseguir - por que somos "os tais".
Por isso, as decepções e as frustrações, indiretamente, nos ajudam na caminhada da vida.
Elas nos mostram que não somos perfeitos, que não somos "todo-poderosos", que, como todos, temos virtudes e defeitos, acertos e falhas, vitórias e derrotas. 

Elas nos mostram que "somos vencedores" Porque nosso Deus nos dá a vitória; que chegamos ao nosso destino porque o nosso Deus nos conduz cada passo; que nossos sonhos são realizados por causa do amor e misericórdia do nosso Senhor.
Os desapontamentos podem nos abater?
Sim, se não formos suficientemente perseverantes e confiantes no poder do Senhor.
Porém, caso tenhamos aprendido a viver com fé no Salvador, eles serão o sal que temperará a nossa motivação e nos alimentará na busca de novas e constantes tentativas, até que a nossa vitória seja completa e definitiva.
Os fracassos, as decepções, os desapontamentos e as frustrações podem nos abater, nos derrubar, nos entristecer e até tentar nos desestimular na caminhada, mas, serão as molas que nos ajudarão a seguir em frente, a buscar a presença de Cristo, a compreender o valor de sermos servos do Deus Altíssimo, a glorificar e louvar a Deus pelas forças que em nós serão renovadas para que, por fim, alcancemos todos os nossos propósitos.
Embora sejam desagradáveis, os desapontamentos são importantes para a nossa edificação espiritual.
Glórias ao Senhor!






Holdings – Tel Aviv – Jafra – Israel 
Diácono Rilvan Stutz “O Servo com Cristo” 
O Blog Rei dos Reis - “A Serviço do Senhor 
Portal Interlegis.gov.br – Direitos Humanos – Membro 
Instituto de Pesquisas (Arqueológicas) – Israel – Membro 
Academia de Natânea – Israel – Membro 

Portal Shvoong (Paulo Roberto Barbosa).


Rádio Rei dos Reis