Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

domingo, outubro 03, 2010

40 ANOS, 40 MINUTOS, 1 DIA

EDIFICAÇÃO



Aos 40 anos, no dito popular, vive-se a idade do lobo. Na Bíblia 40 anos é preparo de Deus, presença, revelação e poder, 40 dias é fortalecimento de Jesus no deserto, tempo para os espias contemplarem a nova Canaã, tempo de tarefa, tempo de Deus com Moisés no Sinai, tempo de transformação dos discípulos após a ressurreição.
=
Tempo de orar e jejuar, tempo de retiro, tempo para mudar como Jonas em Nínive. Em minutos, um ou quarenta anos, perde-se a vida, ganha-se a eternidade, perde-se a moral, conclui-se a vitória; declara-se um grande amor, diz-se um sim, ou não, talvez em segundos, abrindo um sorriso ou iniciando tempo de dor.
=
O povo de Israel saindo do Egito, peregrina quarenta anos no deserto, por vales e montes. Para uns ao olhar para frente é tempo de mais, para quem já viveu passou tão rápido, “quarenta anos é a velhice dos jovens, depois disso vem a juventude dos velhos”...
=
Se você não passou, vai passar; se já atravessou o deserto, em quarenta anos ou mais, sabe o desafio da aridez, caminhos difíceis, tempestades, tribulações, desafios. Alguns murmuram por achar a caminhada da vida pesada, mas bebem água tirada das pedras, sentem o vale e sua profundidade, outros observam encima dos montes, os que falam com Deus vendo, "...sarça que arde e não se consume. Passado o tempo, não faltou sandália para os pés, as vestes não rasgaram. A nudez foi coberta. A comida diminuiu, mas nunca acabou. Como povo do Deus vivo, e Ele guardados no deserto da existência, lembramos que já fomos aquecidos de tantas formas: de noite, o fogo do Senhor aquecendo, de dia a nuvem refrescando a alma.
=
Aos quarenta dias, anos ou minutos, queridos, precisamos lembrar o vislumbre e vicissitudes da eterna Canaã. Ainda no compasso da espera chegamos até aqui e, como Josué e Caleb, somos convidados a não desanimar, pois até aqui nos ajudou o Senhor. Alguns com martírio e pouca honra, vindos ou ainda no deserto, no tempo de inconformismo, lágrimas, injustiças, trazem no peito onde se lê: "caminho e combato o bom combate estou guardando a fé...". Que visão tem do seu deserto e que expectação da glória cativa seu coração na luta do sobreviver?
=
Em quarenta anos Israel murmurava e perguntava: "E agora Senhor, exército por traz, montanhas ao lado, mar pela frente?". - Já sentiu assim alguma vez? Então, Deus fez abrir o mar Vermelho... mas não bastou! - "Não temos alimentos!". Receberam codornizes e maná que os nutriam.
=
Poderá o Senhor nos livrar dos perigos e inimigos (, desamor, incompreensão, desprezo, perdas)? Muitos foram os livramentos quando já em Canaã, tendo mel, provido pelas abelhas do Senhor, leite abundante, havia os que diziam e ainda hoje dizem, Mas realmente pode Deus prover? Pode Deus ouvir-nos?
=
A jornada do deserto, uma caminhada de quarenta anos, podia ter sido feita a pé em alguns dias; foi tempo demais, porém necessário para que o duro entendimento do homem pudesse esquecer as cebolas do Egito e desfrutar Leite e Mel de Canaã. Que não se precise de 40 anos para se curvar, mesmo quarenta dias, mas que em um minuto reconheçamos: Bebemos da água da Rocha, sobrevivemos ao deserto abrasador, vimos a coluna de fogo, comemos do maná do Céu, as nuvens nas mais diversas formas guardaram-nos, atravessamos o mar com pés secos, por isso, e muito mais aceitamos o que Paulo diz: Quem era a Rocha da qual a água veio? Quem era a coluna de fogo? o maná? a serpente de metal? Tudo que Deus fez por Israel foi através de Jesus! Isto mesmo - Jesus foi cada uma destas Dádivas!
=
"Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar... e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a Pedra era Cristo", (I Coríntios. 10:1,4).










Postado por Pão Quente Diário

Igraja Presbiteriana do Brasil
Diác. Rilvan Stutz - Membro Catedral
Pb.Ariovaldo de A. Ferraz - IPB. Londrina
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

Rádio Rei dos Reis