Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

domingo, julho 31, 2011

VOCÊ SABE O QUE É A BÍBLIA, QUEM A ESCREVEU, EM QUANTO TEMPO ELA FOI ESCRITA?

EDIFICAÇÃO












No Segund
o domingo de dezembro comemoramos O Dia Da Bíblia. O vocábulo, Bíblia, originalmente não se encontra no Velho e no Novo testamento. É derivado por meio do latim de, biblia, proveniente do Grego Helenista ou Coiné, que significa comum. Este idioma surgiu com as conquistas de Alexandre Magno, tornou-se dialeto comum em redor do Mediterrâneo cerca de trezentos anos antes de Cristo e quinhentos anos depois de Cristo. O termo grego, Biblia, é plural de biblion que por sua vez é diminutivo de biblos, usado para denotar qualquer livro escrito. No grego, significava um documento escrito, mas originalmente, no grego antigo, significava um documento escrito em papiro. O termo encontra a sua origem no vocábulo, byblos, em referência ao porto fenício do mesmo nome, mediante o qual era importado o papiro de origem egípcia, desde a antiguidade.

No Velho Testamento o nome de livros já era aplicado aos escritos sagrados. Em Daniel, Capítulos nove, verso dois, leram nas palavras do profeta,... eu, Daniel, entendi, pelos livros... Referindo-se ao conjunto dos escritos proféticos.
=
Como podemos observar, nos evangelhos encontramos o vocábulo, Biblos, de onde é vertido o substantivo livro, encontrado no Evangelho Segundo Mateus, Capítulo um, verso dois e no Evangelho Segundo Marcos, Capítulo doze, verso seis.
=
No cristianismo, o termo Bíblia, passa a configurar o significado de livros, para indicar aqueles que são reconhecidos como canônicos pela igreja cristã. O uso mais antigo de ta bibliá, vertido do grego para o vernáculo como, os livros, pelos cristãos, com esse sentido, foi iniciado em Segundo Clemente, Capítulo catorze, verso dois, cerca de cento e cinqüenta anos depois de Cristo.
=
O termo sinônimo de, Bíblia, encontrado no Novo Testamento é Escrituras, freqüentemente usado para denotar os documentos sagrados do Velho Testamento em sua totalidade, ou em parte.

=
A Bíblia é a revelação do caráter e da ação de Deus. Através dela, Deus desvenda aos nossos olhos tudo aquilo, que dele, desejava conhecêssemos. A Bíblia, além do produto da revelação, é o livro milagre. Escrito por cerca de quarenta autores diferentes, de procedência multicultural, os quais escreveram inspirados pelo Espírito Santo no período histórico compreendido em torno de mais ou menos mil e seiscentos anos, estendidos do Sinai à terra prometida; do exílio babilônico ao nascimento de Jesus; da morte, ressurreição e ascensão do mestre à sua volta descrita no Apocalipse.
=
Livros e fragmentos de originais guardados pelas santas e poderosas mãos de Deus através de bibliotecas, como a de Alexandria e em cavernas adjacentes ao Mar Morto, foram preservados através dos séculos, preciosos no processo da canonização bíblica. Pelo processo gradativo e progressivo da revelação, pela preservação dos manuscritos sagrados, pela canonização atribuída aos pais da igreja, hoje temos a Bíblia, nossa única regra de fé e prática.
=
A Bíblia, no cânone cristão, é composta por sessenta e seis livros. Destes trinta e nove estão no Velho Testamento e vinte e sete no Novo Testamento. São estes:
=

VELHO TESTAMENTO

Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, I e II Samuel, I e II Reis, I e II Crônicas, Esdras, Neemias, Ester, Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cânticos dos Cânticos, Isaias, Jeremias, Lamentações de Jeremias, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel,
Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.
=
NOVO TESTAMENTO
Mateus, Marcos, Lucas, João, Atos dos Apóstolos, Romanos, I e II Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, II e II Tessalonicenses, I e II Timóteo, Tito, Filemom, Hebreus, Tiago, II Pedro, I, II e III João, Judas e Apocalípse.
=
Destaco, a seguir, três referências bíblicas como prova de autoridade da Bíblia, a palavra de Deus.
=
1 - Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos. Sl 119: 105.
=
2 - A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos. O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre; os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos. Sl 19: 7-9.
=
3 - Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. II Tm 3: 16-17.

Rev. Cleuso Rodrigues Nogueira
_____________________________________________________________________________________
Acreditamos que para um melhor esclarecimento e edificação, sempre é bom e útil, examinar todos os versículos indicados em qualquer texto que apreciamos. Estaremos tirando duvidas, crescendo na Palavra e ao mesmo tempo ajudando ao escritor nas indicações para um melhor entendimento. Fiel é a Palavra.
Por “Rei dos Reis”.


















Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - "A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz - "O Servo com Cristo!"
Rev. Cleuso R. Nogueira - Iª IPB Central de MG.

sexta-feira, julho 29, 2011

ARTICULAÇÃO DOS EIXOS TEMÁTICOS

NOTÍCIAS PELO MUNDO






Observação das Obras de Arte
A família é uma grande intermediadora no que se diz educação, é necessário que os pais auxiliem, ajudem seus filhos na aprendizagem. A coordenação motora é necessária para que a criança se sinta segura nas atividades propostas pelo professor, por isso é muito bom que deixem a criança brincar, fazer aquilo que ela gosta. Ter um lugar para a criança se sentir bem, para que possa usar seus pensamentos, é necessário que a criança tenha seu momento, que ela seja livre para imaginar, sonhar e não ser perturbada.

O que pensamos que é mais importante para a criança é ser criança, é necessário que o educador tenha a postura de mediador com a criança- auxiliando-a, sabendo o que está realizando em sala de aula, de acordo com sua faixa etária.

Podemos notar na primeira gravura que (a mãe) ou professor ensina a sua (filha) aluna a tricotar, como é importante o afeto (familiar), a passagens de conhecimentos de mãe para filha é uma grande herança. O contato mãe-filha irá gerar uma grande segurança nesta criança que com certeza ela irá conseguir ser bem mais estável em sua vida afetiva.

Na segunda gravura notamos a menina com uma boneca que nos indica momentos de se sentir adulta. Ela passa para a boneca àquilo que esta vivenciando em sua casa, ela pode vestir a criança como a mãe a veste também, ela pode tratar da boneca assim como ela é tratada em casa, todas essas posições nos mostra que o interior de uma criança que está em formação, somos responsável pelo caráter dela. O modo como falamos, agimos, com certeza será captados por nossas crianças.

Também podemos ver na terceira foto, que um menino, uma criança repousa tranquilamente num momento de reflexão, é interessante notar que as crianças sonham muito, sonham, refletem, pensam, muitas vezes pensamos que o mundo das crianças é só brinquedo, é muito mais, é imaginação. Devemos dar um momento para elas, devemos entender estes momentos e realmente nos envolver neste mundo.
=
Veja o que Jesus falou, “quem não se tornar como criança não poderia entrar no Reino dEle”, notamos que essa singeleza infantil, essa simplicidade é que nos faz diferente, vemos que existe um abismo entre mundo infantil e mundo dos adultos, a criança sempre tem que esperar o adulto, quando uma criança pede algo, dizemos espere, quando quer um brinquedo da estante, dizemos espere. É necessário para preencher este abismo, e unirmos ao mundo da criança que possamos valorizá-la, precisamos entender a criança, precisamos olhar nos olhinhos dela, precisamos dar tempo
para elas, ao contrario serão apenas marionetes do nosso mundo.
=
Pedagogos têm a chave para o sucesso, vamos abrir a porta para nossas crianças.






















Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - "A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz - "O Servo com Cristo!"
Prof. Habushun - Membro Shvoong

terça-feira, julho 26, 2011

JUVENTUDE SEM ÉTICA

EDUCAÇÃO









Cada vez mais, nos dias que correm pais e educadores de jovens e adolescentes se deparam com um problema muito sério nessa passagem difícil da adolescência para a idade adulta: a grande indiferença para o aprendizado moral e para a vivência ética das virtudes.


De fato, observa-se que são muitos os jovens que passam como ensinava Piaget, dessa fase da heterônomia moral – fase de viver o que lhe mandam – para a fase da autonomia ética de forma bastante indiferente e desinteressada, como se suas escolhas não determinassem, em parte, sua felicidade e seu futuro. A resposta para este fenômeno parece estar não só na desvalorização e/ou incapacidade familiar e escolar para a educação ética/moral, mas também no atraso dessa passagem que a própria família e a sociedade de consumo estão provocando, mais ou menos inconscientemente.
=
Infelizmente, como diz Tony Anatrella, renomado psicanalista francês, uma das maiores contradições de nossa sociedade ocidental consiste em fazer crescer a juventude muito rapidamente, facilitando-lhe várias experiências precoces, muitas delas nocivas, e, ao mesmo tempo, animá-la a permanecer adolescente o maior tempo possível, com as facilidades de uma vida cômoda e sem dificuldades. Aprofundemos no fenômeno.

=
Desde a mais tenra idade, tanto os pais como as empresas de consumo, com seus poderosos veículos de comunicação de massa, ambos com intenções muitas vezes duvidosas e pouco éticas, procuram satisfazer as crianças com todos os equipamentos de diversão e comunicação, de forma que os “convençam” que ficarem em casa, no seu quartinho, como numa autêntica “bolha protetora de micróbios”, é a forma de serem e viverem mais felizes e seguras, depois da escola. Constroem para eles uma autêntica “bolha material”, onde há pouco espaço para o diálogo educativo e para as amizades verdadeiras. Como apontam Tânia Zaguri, sentimentos de culpa pela ausência e omissão dos pais, que têm que trabalhar, são muitas vezes os motivadores para esses excessos.

=
Quando chegam à idade de desenvolver mais suas capacidades e habilidades intelectuais, as famílias as “entopem” de cursos e esportes extra-escolares, com a ilusão de que assim conseguirão maior realização profissional futura. Entretanto, como com a “bolha material” só conseguiram desenvolver uma ou duas amizades reais – virtuais muitas! – as crianças, ao sair de casa para esses inúmeros cursos, sentem dificuldade no relacionamento e muita insegurança. Como solução, muitas são como que obrigadas a transportar de forma inconsciente essa bolha material invisível para se refugiar: celulares com os seus derivativos, mp4 player, livros... Tendo dificuldade para se comunicar e descobrir um “outro tu”, reforçam a bolha material criando uma nova camada que poderíamos chamar de “bolha psicológica”, que as cegam para qualquer interesse que não seja individual.

=
Por fim, se tiveram a sorte de conseguir ingressar na vida universitária, onde existe habitualmente uma explosão intelectual, um aumento do conhecimento e uma liberdade falsamente ilimitada, os jovens que não aprenderam o certo e errado, sentem necessidade de criar uma ética própria para satisfazer suas inseguranças ou justificar suas ações, muitas vezes erradas, que tranquilize suas consciências. Criam uma terceira camada da bolha, chamada “bolha filosófica”. As tragédias nesta fase, que quase sempre são de tentativa e erro, costumam ser frequentes e deixam marcas para o resto da vida.
=
Esta tríplice camada que envolve os “meninos-bolha” é a que produz depois uma enorme força-resultante centrípeta egocêntrica que os leva a realizar somente aquilo que alimenta um eu voraz de prazer sem lógica e sem limites, gerando, conseqüentemente, um subjetivismo irracional, uma ética sem fundamentos sólidos e, ao final, um coração embolado, isto é, vazio de amor: não conseguem entender a linguagem do amor e da amizade verdadeiros. Estes “meninos-bolhas” não conseguem, na prática, transcender e valorizar a ética, porque ela só se busca quando se tem um porto a chegar, um ideal de perfeição a se alcançar.
=
A forma de se abrir para uma educação ética é esperar que a própria vida, com suas vicissitudes e tragédias dolorosas, se encarregue de furar a bolha, acordando-os para uma realidade que não conhecem. Outra forma mais prazerosa e inteligente, é aquela em que um amigo (a) os ajude não só a repensar a própria vida moral, mas também a descobrir que é a própria dinâmica e vivência das virtudes da temperança, fortaleza, justiça e prudência, nessa ordem, que evitará que essas bolhas e camadas se formem.
_____________________________________________________________________________________
João Malheiro: Dr. em Educação pela UFRJ e diretor do Centro Cultural e Universitário de Botafogo. É palestrante sobre o tema da educação e mantém ótimo blog.

















Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - "A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz "O Servo com Cristo!"

Diretor Universitário Cultural - Botafogo
Dr. João Malheiro - UFRJ - Palestrante


sábado, julho 23, 2011

OS TÃO OCUPADOS E APRESSADINHOS DE DEUS

NOTÍCIAS PELO MUNDO





Se há alguém no mundo com todos os motivos para estar sempre ocupado e apressado, certamente seria Deus, pela quantidade de pessoas que recorre a Ele, todos os dias e a todo instante, pelos mais variados motivos. Desde gente que pede para ganhar na mega-sena, até aqueles que pedem para que tal candidato ser eleito, para chover, para fazer sol, para sair aquela promoção, para o chefe ser mandado embora, para a namorada ou namorado voltar, para o guarda rodoviário não usar o bafômetro, para o teste de gravidez dar negativo ou positivo... Uma loucura. Já perceberam o que ocorre nas partidas decisivas de futebol? No último segundo, o jogador vai cobrar um pênalti que dará o título ao time. De um lado, uma equipe se dá as mãos e orando, pede a Deus para a bola ir para fora ou o goleiro defendê-la.
=
Do outro, a equipe adversária, também de mãos dadas, reza e pede a Deus para a bola entrar. Ou seja, a divergente expectativa de todos inclusive torcedores, é de que Deus pare de fazer tudo o que está realizando pelo mundo inteiro para fazer o atacante marcar o gol ou o goleiro pegar o chute. Pode?
=
Essa introdução descontraída é para nos fazer lembrar-se daquele profissional que repete a todo instante:
=
Agora não dá! Estou super-ocupado!
=
Depois, depois! Agora não dá! Estou super-atrasado!
=
Uma vez que esse profissional não é Deus – porque Ele sempre dá um jeito de atender todo mundo – conclui-se que o acelerado amigo não tem a menor idéia do que seja administração do tempo.
=
A exceção das disfunções comportamentais, certamente há quem aja assim por achar que tal postura passa a imagem de um sujeito muito trabalhador e indispensável à firma. Pelos muitos anos que convivi com o mundo corporativo, posso assegurar que metade das atividades que fazem aquele herói correr tanto e estar sempre ocupado, poderia ser facilmente delegada à membros da equipe. Mas, fazer o que se o homem é centralizador? Estes, parecem nunca ter ouvido ou lido nada também sobre delegação.
=
No frigir dos ovos, o primeiro prejudicado é o próprio, pois lhe falta tempo para participar de programas de integração com os pares e colegas e, sobretudo de atualização – aliás, é característica sua nunca ter tempo para comparecer aos programas de treinamento e sempre chegar atrasado e bufando às reuniões.
=
Nem na hora do almoço nosso elétrico profissional relaxa. Quando não come apressadamente um sanduíche na sua mesa de trabalho, ele corre ao refeitório e rápida e literalmente joga a comida mal mastigada na boca. Sem muita conversa, levanta-se e sai quase correndo, pois “tem muita coisa pra fazer e já está atrasado”.
=
É provável que esse profissional alimente a fantasia de que a empresa parará se ele diminuir seu ritmo. Se este for o caso, trata-se de um candidato potencial a um trauma depressivo se um dia for demitido (o que descrevo com detalhes no meu mais recente livro “Demitido: quando é preciso tirar a camisa” (Qualitymark).
=
Nessas pessoas, preocupa-me muito o comprometimento da sua qualidade de vida. Um tempo precioso a ser curtido com a família e amigos está deixando de ser utilizado e no futuro é mais do que provável que isso traga sérias conseqüências afetivas, psicológicas e sociais. Claro que isso tem solução. Uma adequada reflexão, uma revisão do estilo de vida, um claro entendimento do que é urgente e do que é importante (nem sempre estas condições caminham juntas) poderia ajudar o nosso amigo e estruturar melhor o uso do seu tempo, controlar sua ansiedade e ser mais feliz.
=
Todos ganhariam com essa mudança, inclusive a própria empresa.
Pena que geralmente esse profissional não tem tempo para pensar nessas coisas muito menos em Deus. Certamente ele nem lerá este artigo: afinal, como sempre, tem um monte de coisas à sua espera e ele já está muito atrasado...



















Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - " A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz -"O Servo com Cristo!"
Dr. Floriano Serra - Portal da Fmaília

quarta-feira, julho 20, 2011

HOMENAGEM A BRAVOS MISSIONÁRIOS


Sabemos, que quando saímos em missões podemos não voltar, o trabalho é do nosso Senhor Jesus Cristo. Obedecemos ao “Ide” missão tão gloriosa, que nos impulsionam até aos confins do mundo, em locais que nossa mente não é capaz de imaginar.
=
Esses corajosos missionários seguem suas missões e sabem tem o Nosso Senhor Jesus Cristo a frente. Todos arriscam sua vida pelo Evangelho, deixam para traz, família e objetivos interrompidos, saudades se multiplicam, o coração bate mais forte quando o perigo se aproxima, a família vem na lembrança, sem falar aqueles que estão com todos seus familiares nestes locais.
=
Quantos são tocados pelo Espírito Santo, assim aceitam e seguem por estrada tão bela. Sendo a vontade do Senhor, sempre nos regozijamos! Mas, os perigos nos cerca, isto é fatal, digamos até necessário, segundo entendemos como os desígnios de Deus, vontade do Senhor. Um trabalho tão importante, difícil e arriscado Quem faria? Quando não fazemos!
=
Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso redentor, foi o primeiro a morrer quando em terra anunciando sua missão. Tanto para nos salvar, como para nos ensinar o significado do “Ide”! O “Pai do Ide”! O Pai da evangelização! Quantos ainda carecem de ouvir a palavra que salva, Sabemos que há locais que nem a bíblia ainda chegou. A presença de um missionário se faz necessário para anunciar o Salvador eterno. É neste momento, quando morre mais um missionário no trabalho no campo de batalha, a tristeza se aprofunda em nossos corações.
=
Rogamos e desejamos que esta mensagem fosse força, coragem para todos aqueles que em longínquas partes do mundo. Saibam! Estamos orando por vocês, sem cessar. Cada vida interrompida, cada dificuldade, cada ameaça lembrem o senhor acampa ao seu redor. O Senhor dará a recompensa prometida. . Temos a certeza que os frutos da salvação, plantados por todos os bravos missionários, que atuam neste imenso Mundo, fará florescer como resultado do tão árduo trabalho, para a “vida”, a verdadeira vida em Jesus Cristo, o fruto que transforma o pecador, para um futuro seguro com Jesus Cristo, condução prometida para salvação eterna. Nossas homenagens a todos os missionários em atividades neste Mundo, sejam fortes! Contem com as orações de todo povo Cristão, que em de toda parte do Mundo sabemos, intercede por este trabalho.
=
Quanto a mais esta vida ceifada pela injustiça, pela malvadeza de perseguidores do Evangelho, causados pelos maus! Que reinam momentaneamente neste mundo. Que esta vida seja um exemplo verdadeiro de coragem, fidelidade ao Senhor da vida e da glória. Jesus Cristo! Que seus familiares estejam confortados pelo Altíssimo, pois a vida desta missionária “Repousa nos braços de Cristo”, Amém.



















Igreja Presbiteriana do Brasil

O Blog - " A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz - "O Servo com Cristo!"

segunda-feira, julho 18, 2011

VERDURAS E LUGUMES: SAIBA O QUE VOCE ESTÁ GANHANDO OU PERDENDO

CUIDANDO DA SAÚDE







Sim, é óbvio que você já sabe de cor e salteado que, numa dieta balanceada, os legumes e as verduras não devem ficar de fora.
Que eles são fontes ricas em nutrientes essenciais para a saúde, como vitaminas e antioxidantes. E que, infelizmente, a quantidade diária recomendada pelos médicos – de quatro a cinco porções por dia – está muito além do que você consegue consumir. Para estimularem as pessoas a chegar a uma quantidade próxima à preconizada, os nutricionistas sugerem receitas de todos os tipos – até frituras, por que não?
=
O que provavelmente você não sabe é que, dependendo de como são preparados, legumes e vegetais perdem boa parte das vitaminas e sais minerais. E, inversamente, podem ter alguns de seus compostos mais bem absorvidos pelo organismo. "Quando colocamos legumes para cozinhar em água fria, 35% dos carboidratos, vitaminas e minerais se transferem para ela, formando um caldo saboroso e rico em nutrientes. É o ideal para o preparo de uma sopa", diz a nutricionista Flávia Bulgarelli Vicentini, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
=
"Mas, se a ideia é cozinhar os legumes para fazer uma sala
da, desprezando o caldo, deve-se cozinhá-los em água fervente. Assim, perdem-se menos nutrientes." VEJA pediu a ela e também às nutricionistas Daniela Jobst, do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional, e Maria Gandini, da consultoria RGNutri, que analisassem o que ocorre com os nutrientes de oito legumes e verduras comuns na mesa dos brasileiros, de acordo com o modo de prepará-los. Ah, sim, vamos combinar que só um chato lembrará que tomate é fruta. E que batata é um tubérculo.
=
COUVE-MANTEI
GA
Nutrientes: rica em clorofila e glicosinolatos. Fonte de vitaminas A e C, betacaroteno, ácido fólico, cálcio, ferro, fósforo e potássio.

CENOURA
Nutrientes: vitaminas A e C e betacaroteno. Fonte de sódio, potássio e carboidratos.

BERINJELA
Nutrientes: proteínas, cálcio, fósforo e vitaminas B1, B2 e C. Boa fonte de antocianinas.

ERVILHA
Nutrientes: boa fonte de vitaminas A, B e C. Tem ainda fósforo, cálcio, potássio, zinco, selênio e ferro.

BATATA
Nutrientes: rica em carboidratos, fibras, fósforo, vitaminas C e do complexo B. Também tem potássio, cálcio, ferro, magnésio e zinco.

TOMATE
Nutrientes: fonte abundante de licopeno. Boa quantidade de potássio, sódio, fósforo, cálcio, magnésio, ferro, fibras, vitamina C e betacaroteno.

Nutrientes: ferro, ácido fólico, potássio, vitaminas A, C e do complexo B.
=
Nutrientes:
Vitaminas A e
C e antioxidantes, como glicosinolatos e betacaroteno. Grande quantidade de vitaminas do complexo B, enxofre, cálcio, ferro, zinco, ácido fólico e potássio.

PARA ENTENDER OS NUTRIENTES.
Ácido fólico: uma das variantes da vitamina B, ajuda a reduzir o risco de doenças cardiov
asculares.
Antocianina:
antioxidante que combate danos nas células e ajuda a reduzir o colesterol.
Betacaroteno:
Antioxidante que protege as artérias, combate infecções e previne alguns tipos de câncer.
Cálcio:
Fortalece os ossos
Clorofila:
Melhora a imu
nidade
Enxofre:
Ajuda na renova
ção celular
Ferro elemento:
Essencial na produção de hemoglob
ina, que leva oxigênio às células
Fósforo: Bom para a saúde dos ossos e da memória
Glicos
inolatos:
Antioxidantes que protegem contra o câncer:
Licopeno:

Antioxidante que previne o tumor de próstata
Magnésio:
Atua no sistema
imunológico
Potássio:
Regula a pres
são arterial e o funcionamento dos rins
Selênio:
Combate a ação dos radicais livres nas células
Vitamina A:
Tem po
der antioxidante
Vitaminas do complexo B:
Ajudam a eliminar toxinas
Vitamina C:
Fundamental para o sistema imunológico e para a saúde dos dentes, cabelos, músculos e ossos. Também ajuda na absorção de ferro.
Zinco:
Atua na atividade das enzimas.

Aproveitemos preciosas orientações para nossa saúde, é mais importante prevenir que deixar para depois!!

















Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - "A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz - "O Servo com Cristo!"
Revista Veja: Maria Gandidni - RGNutri


sexta-feira, julho 15, 2011

SETENTA VEZES SETE

EDIFICAÇÃO







“Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.” Mateus. 18:21.
O perdão tem se tornado raro tem sumindo no “mercado da vida”, pioramos a cada momento. A distância fica cada vez maior do nosso próximo. O nosso coração balança incerto de hora a hora. A “dureza” do coração já nos acompanha por aonde vamos. Tem faltado a coragem, a humildade de pedir perdão e de perdoar.

Como pecadores, devemos reconhecer nossas fraquezas, precisamos tratar nossos semelhantes com igualdade e de forma digna. Isto não tem acontecido, infelizmente, pela dureza do coração. Sabemos que Jesus se entristece, pois nos tornamos cruéis por demais, em nossos duros comportamentos. Não temos sido verdadeiros em nossos relacionamentos. Viver o perdão é lei para os nossos corações e dignifica nossa conduta frente aos ensinamentos de Cristo.

Hoje, perdoar tem sido uma tarefa quase impossível! Cadê o meu amor? Precisamos refletir muito quanto ao “Eu”. Estou uma vergonha, sim! Estamos uma vergonha! Tenhamos a coragem de pensar e repensar, aceitar e mudar métodos. Sem Cristo em nosso viver, não podemos continuar assim “machucando”, fazendo sempre o que quero com as pessoas que estão ao meu redor.

Um momento de reflexão se torna necessário. O ensinamento de Cristo é pratico, rápido, sem fuga, isto é enfrentar de peito aberto minha conduta. Digamos: ir direto ao problema e não procurar “rodeios e desculpas incompetentes”.

Quando Pedro pergunta: “até quantas vezes devo perdoar meu irmão?” Jesus de forma amorosa e extensiva, como olhando para até o final da vida de Pedro diz: “Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (Mateus 18-21). Pedro quis ser generoso, pois as tradições dos rabinos falavam até três vezes. A resposta de Jesus, tomando-se em consideração o que Pedro disse, significa que o espírito de perdão vai muito além dos mesquinhos cálculos humanos.

A parábola do credor sem compaixão ensina o motivo pelo qual deve-se perdoar sem limites. Nosso Pai celeste nos perdoou em vários momentos a ponto de nos conceder o dom gratuito da Salvação em Cristo sem olhar o passado de cada pessoa. Devemos reconhecer que o dever do perdão é o mínimo que podemos praticar a favor do meu próximo.

Devemos refletir e visualizar a bondade divina, que tem sido derramada em nosso viver, mas se não ajudarmos com nossas práticas, impedimos a ação do Espírito Santo. Pratiquemos com urgência o dom do perdão. É necessário que o perdão esteja em primeiro lugar em nossas vidas. Assim, estaremos sendo obedientes ao Pai Glorioso através do Filho.

Pratiquemos o perdão.


















Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - "A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz - "O Servo com Cristo!"

Rádio Rei dos Reis