Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

terça-feira, dezembro 27, 2011

OUTRO OLHAR SOBRE O MUNDO

TEMA-EDUCAÇÃO






========================
==Rede de Divulgação



A ação humana; a sua análise e compreensão do Agir. A especificidade Humana do Agir. Do biológico ao racional.

Em relação ao Homem podemos acrescentar que ascende da natureza à cultura. Age de forma natural e determina sobre o que faz e o que não deve fazer. Em relação ao Animal podemos dizer que age por mecanismos primários, (Natureza Instintiva). Isto acontece mesmo nas espécies capazes de aprendizagem e só o fazem por hábito ou reflexo condicionado.
=
Conseguimos definir: Natureza: O que está Inato, isto é, o instinto manifesta-se da mesma maneira.

=
Cultura: O que é Adquirido.
No Homem, o Natural é moldado, ou seja, o que o Homem trás à nascença é moldado ou ajustado pela parte cultural. Através do que aprende, durante o seu processo de crescimento que é influenciado pelo ambiente onde vive os valores que adquire, e o tipo de sociedade que convive, o Homem vai-se transformando e à medida da civilidade.


Atos voluntários e Involuntários.

Rede Conceptual da Ação Dentro da Ação Humana pode destacar quatro momentos.
=
Deliberada, Consciente, Refletida e Voluntária.
O Homem não age por automatismos, mas por fins; é determinado a agir por motivos e pode escolher as suas ações. Atos do Homem: Podem ser involuntários (independentes da vontade) Mecânicos, isto é, reflexos instintivos, habituais. Encontramos também comportamentos reativos. Espontâneos e automatizados. Atos Humanos: São intencionais, pensados, conscientes e voluntários. Quando na Filosofia nos referimos à ação, referimo-nos aos atos humanos.
=
As Condicionantes da Condição Humana:
O Determinismo. Momentos do Ato voluntário.
No ato voluntário distinguimos 4 momentos. A Concepção: Pensar no que se vai fazer. Deliberação: Analisam-se as hipóteses. Pesam-se os motivos. Pensa-se nas vantagens e nas conseqüências.
=
Decisão: É o Momento da Opção.
Execução: Pôr em prática. A passagem da intenção ao ato.

=
Rede Conceptual da Ação
.
Em todas as ações autônomas descobrimos uma estrutura (ou componentes).
=
O Agente.
Aquele que pratica a ação. O autor, ou seja, o que pratica a ação intencionalmente. Aquele que responde pela ação.
Uma Intenção – Aquilo que o agente quer fazer.
=
O Motivo
O que leva a agir. Em toda a ação humana há sempre um motivo. As razões do agir.

=
A Finalidade
O porquê da ação. O objetivo ou meta. (Dificuldade, por vezes em distinguir entre motivo e finalidade).

=
Determinismo.

Determinismo: O Homem não é livre, quer no seu corpo, quer no seu espírito. O homem é regido pela lei geral que governa todos os fenômenos da natureza. Se pensa que tem algum poder sobre as ações, é porque ignora os condicionalismos que o levaram a praticar tais atos que considera livre.

=
As escolhas que o Homem faz não passam de aparências.










Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - " A Serviço do Senhor "
Diác. Rilvan Stutz -" O Servo com Cristo "

Dra. Maria Antónia Abrunhosa-Shvoong

Rádio Rei dos Reis