Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

sábado, novembro 28, 2009

SOU PRESBITERIANO SIM!

EDIFICAÇÃO




Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo.
Fp.1, 27. =A obediência em primeiro lugar!

Queridos Irmãos, o momento Presbiteriano tem nos preocupado muito. Certos costumes invadem nossas Igreja, nossa genuína Igreja Presbiteriana, tradicional reformada. Há alguns anos atrás escrevi uma matéria sobre este assunto. Muito foi falado na época sobre o conteúdo do artigo. Eu exortava e defendia com o coração dolorido, os caminhos que seguiam algumas Igrejas naquele momento e continuam até hoje. Escrevi em um Jornal Presbiteriano de São Paulo, (O Mediador) e foi bem aceito o tema, confesso aos Irmãos esperava mover alguns lideres, pois a matéria foi escrita, observando por muito tempo procedimentos errôneos tanto na Liturgia e comportamentos no Templo.
=
Esperava ser útil com um artigo sobre o assunto, confesso visava certas Igrejas, principalmente em minha localidade, mas infelizmente estamos exatamente “pior!” Só que agora temos notícias que tais costumes que“enegrecem” a Igreja de forma lamentável. Existem desvios e atalhos perigosos, este procedeimento afetam os membros que até de certa forma, disfarsadamente são enganados e acabam abandonando a Doutrina. O lamentar é tão somente por costumes ser aceitos e praticados por nossos lideres. Permitem mudanças para ver sua Igreja bem“cheia”, aquele costume gostoso que o mundo tem apreciado, (uma Igreja bem agitada). Assim carregam os menos preparados. A grande causa, é a direção os princípios litúrgicos deturpados, colocam a Igreja em situação difícil. Sabemos crescem rapidamente, atingem proporção muito maior em nossos dias, porque? Estão indo bem!
=
Na matéria escrita no passado, levanto a questão da lei, nossa lei! Nossa Constituição, breve catecismo, confissão, a complicada situação da liturgia, também um melhor aprimoramento do estudo bíblico, lutamos para tentar formar verdadeiros Presbiterianos. Precisamos entender e respeitar a postura Doutrinária, que um dia prometemos diante ao Púlpito e Pastor. Toda Igreja foi testemunha por meus atos futuros e, quando não cumprimos, a maioria vai se afastando como muitos.
=
Lembramos o estudo de meses na classe de catecúmenos, hoje sem tom de crítica, sabemos que as mesmas são fracas. O Apóstolo Paulo, fala no Livro de 2ªTimótio 2.1-17, ele usa três figuras de linguagem para exemplificar a postura, a ação dos verdadeiros de Cristo. Começamos com a metáfora usada pelo Apostolo é a do soldado. O pressuposto é que somos enquanto Cristãos a “tropa de elite” comandada pelo Senhor. Partindo desta frente, nossa meta nos envolver com sinceridade e verdade com nossa fidelidade prometida frente à Igreja! Sou soldado de Jesus até a morte, sempre obediente ao meu comandante! Assim posso dizer “SOU PRESBITERIANO SIM!”.
=
Ainda lembramos que somos também verdadeiros atletas, este, de acordo como Apóstolo Paulo, deve ter um objetivo primordial, qual seja: competir segundo as regras. Não podemos nos deixar corromper pela idéia de sucesso e popularidade, pois aí aparecem os perigosos desvios. Não deve usar anabolizantes de modo a aparecer o que não é, desta forma confrontamos nossos membros de hoje se deixando levar pelo vento da Doutrína.
=
Há bem pouco tempo, fui convidado participar da formatura de novos membros em uma Igreja em minha região, que se diga Igreja Presbiteriana do Brasil. No término dos trabalhos, no momento dos comprimentos engrenei uma conversa com um dos formandos no pátio do Templo. Em determinado momento, quando falávamos sobre doutrina, nos aprofundamos no assunto, e perguntei: irmão como vê a Constituição? O Irmão olhando bem fixo para mim, como se “engasgado”, retrucou com outra pergunta: Irmão, sobre o que está falando, que Constituição é essa? Eu não sei, não sei lhe responder!
=
A nossa base Presbiteriana está de lado, alguns vivem com pressa, os objetivos e chegar logo a costumes que são seus, são variados. Nossos lideres formam novos membros de maneira tão moderna e não existe mais a preocupação de como está o candidato, como ele está, como chegou a Igreja e surge aí o “candidato!”. À vontade desta maioria está em ver a Igreja bem lotada!
=
Classe de Catecúmenos, como és importante! Em tempo passado, só o Pastor da Igreja lecionava nesta classe, eram três meses de estudo. Hoje infelizmente, em 15 dias temos um novo membro pronto para a formatura. Acrescentamos que os professores de hoje são Presbíteros, Diáconos e muitos já em disponibilidade, acrescentamos e sabemos muitos são capazes de cumprir tal missão, mas ficam as duvidas.
=
Com a Igreja já doentia, nos aparece com força total o chamado Neo- Petencostal. O que nos intriga, pois desde o Seminário já deveria ser observado o comportamento de um candidato ao Pastorado, isto não tem acontecido. Não coloco de imediato a culpa em nossos seminários, a indicação, o exame, o papel do Presbitério, também deveria ser uma prova “a nível”, fidelidade no exame, mas não percebemos esta preocupação, falo o que sei e muito bem!
=
Preparado para o pastorado, vem à mudança tão repentina. Porque Presbitérios, sínodos não procuram melhorar esta situação, boas visitas, apoio, alguns aconselhamentos, melhorando assim a postura Pastoral e “A DENOMINAÇÃO!” Tanto é fato que sempre temos alguns excluídos.
=
Certas Igrejas permanecem fieis aos seus Princípios. Desde os primórdios dos antigos ensinamentos os novatos eram bem instruídos, o Pastor tinha o zêlo de aplicar o necessário para uma ideal formação. Por outro lado, hoje, ficamos divididos, adotam dois costumes e, vão indo a vista das autoridades. Voltamos ao Apóstolo quando fala do lavrador esforçado, tem dois prazeres em especial. O primeiro ver o fruto do seu trabalho e o segundo é ser o primeiro a participar dele. O Senhor requer soldados leais, disposto e obediente nas promessas feitas ao Senhor da Glória! Que, como Soldados, atletas e lavradores sejamos nós exemplos de postura e ação diante da comunidade, e possamos bradar bem alto, “SOMOS PRESBITERIANOS SIM!

Sim ou Não?




Holdings. Tel - Aviv - Jafra Israel
Por Diác. Rilvan Stutz - Membro Shvoong
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

Rádio Rei dos Reis