Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

terça-feira, setembro 13, 2011

VOZES JOVENS DIZEM A VERDADE SOBRE A VIDA HUMANA NAS NAÇÕES UNIDAS

NOTÍCIAS PELO MUNDO







Nova York, 29 de julho de 2011 (C-FAM). As vozes entusiasmadas da juventude pró-vida de todo o mundo se impuseram nos eventos da Reunião de Alto Nível sobre a Juventude nesta semana nas Nações Unidas, atraindo a atenção tanto de funcionários como de delegados da ONU.
=
Para grande desgosto dos que mandam, os jovens pró-vida dominaram grande parte dos debates durante a Conferência das Nações Unidas sobre a Juventude. Apesar da ONU ter tentado excluí-los, até o ponto de retirar o convite a quem já fora admitido, ainda assim os pró-vida fizeram ouvir sua voz. Tenha a certeza de que esta geração de líderes a favor da vida é simplesmente assombrosa.
=
“Estou sempre cruzando com estes pró-vidas, eles estão por todos os lados. De fato a maioria das pessoas que entrevistei são pró-vida”, disse a um membro da Aliança Internacional da Juventude, uma jovem que trabalha para o Fundo de População, enquanto entrevistava os que assistiam à conferência.
=
“Nós (os membros da Aliança Internacional da Juventude) éramos a metade, se não mais, dos jovens que de fato estavam na conferência”, disse ao jornalista da Friday Fax um participante da Aliança. “E qualquer pessoa que falava contra nós, e contra nossa mensagem sobre a vida humana, era adulta, não jovem”.
=
Quando um jovem assistente à Conferência da ONU sobre a Juventude realizada esta semana se colocou em pé para formular uma pergunta e se identificou como membro de uma ONG pró-vida, o moderador do evento informou que o painel não estava interessado em ouvir seu ponto de vista. Tal desinteresse no debate com os jovens caracterizou a reunião final do Ano Internacional da Juventude das Nações Unidas, intitulada “Diálogo e entendimento mútuo”.
=
Semanas antes da conferência, os organizadores obrigaram as ONGs a se limitarem mandar cinco jovens, apesar de muitos deles já terem recebido suas cartas de admissão e organizado suas viagens.
=
Um representante do Programa da ONU para a Juventude disse a Friday Fax que, uma vez que mais de 1200 jovens se haviam inscrito para a conferência, os organizadores se viram obrigados a limitar a afluência e participação por causa da falta de espaço e por razões de segurança.
=
Durante a primeira manhã, muitos jovens se apresentaram para se credenciar, com cartas de admissão nas mãos, só para serem dispensados. O que é pior, a sala da Assembleia Geral permaneceu vazia a maior parte da conferência.

=
Muitos dos jovens assistentes mostravam-se desapontados diante do escasso público e participação da juventude. Em seu discurso de abertura, o secretário geral Ban Ki-Moon perguntou à plateia se era possível fazer-se mais pela juventude. Sua pergunta foi respondida com um sonoro “sim” do grupo presente. Não obstante, muitos sentiram que a ONU só falava aos jovens da boca para fora.
=
Frequentemente os moderadores dos eventos paralelos não deixavam tempo para interação entre os apresentadores e os jovens. Num destes eventos, que abordava o HIV e a AIDS, intitulado “Fogo cruzado: um diálogo entre jovens líderes e dirigentes políticos”, cinco jovens foram pré- selecionados e lhes deram as perguntas escritas. Em muitas reuniões, só falaram ministros e chefes de estado, enquanto os jovens assistentes só escutavam.
=
A maioria dos temas da juventude debatida na conferência referiu-se à agenda dos “direitos e da saúde sexual e reprodutiva”. O Fundo de População da ONU patrocinou nove eventos paralelos, muitos dos quais se concentraram na promoção dos “direitos sexuais” dos jovens como a educação sexual integral e a abolição das leis de consentimento paterno, assim como também a anticoncepção e a despenalização do aborto.
=
Quando os defensores dos direitos e da saúde sexual e reprodutiva enfrentaram as perguntas dos jovens conservadores e pró-vida, simplesmente as ignoraram. Durante uma reunião patrocinada pelo Y-PEER, ramo jovem do Fundo de População, um jovem assistente citou dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), que revelam um incremento de 190% no risco de contrair câncer de mama para mulheres que usam anticoncepcionais orais durante ao menos dois anos antes da idade de vinte e cinco anos.
=
A esmagadora presença da juventude a favor da vida e da família contrastou fortemente com a agenda dos direitos e da saúde sexual e reprodutiva promovida pelos funcionários das ONU que assistiram à conferência. A Aliança Internacional da Juventude, constituída na Conferência Mundial da Juventude, realizada no ano passado em Leon, México, emitiu a “Declaração da Juventude à ONU e ao Mundo”, que foi apresentada diante da Assembléia geral das Nações Unidas durante o debate de um painel temático de alto nível.
=
A “Declaração da Juventude à ONU e ao Mundo” da Aliança Internacional da Juventude foi apresentada segunda feira, na sessão da Assembléia Geral. O manifesto, que se compõe de oito princípios baseados na dignidade da pessoa, foi recebido com aplausos por jovens da ONG que estavam na galeria.
=
Além de participar dos eventos oficiais desta reunião de alto nível, os membros da Aliança patrocinaram um “Dia de formação para jovens”, liderado por um grupo de reconhecidos oradores norte americanos (muitos deles jovens) que se apresentaram diante de um público de mais de 100 jovens e membros de organizações não governamentais.
=
“Os jovens pró-vida que participaram dos painéis interativos da conferência e dos debates falaram com muita paixão, sem olhar para as anotações, mas olhando-nos aos que estavam na platéia. Os outros (aqueles que trabalhavam para organismos da ONU e organizações afins) mostravam-se aborrecidos, como se quisessem ir embora e acabar com isso... não estavam totalmente engajados”, explicou para Friday Fax outro jovem participante.
=
A Aliança Internacional da Juventude também patrocinou um evento apresentado pela Missão da Santa Sé ante a ONU, que expôs uma perspectiva da juventude centrada na dignidade e na vida vivida em verdadeira liberdade, em lugar de uma existência conduzida por paixões egoístas.
=
“Os jovens tem muito mais em suas cabeças do que sexo. Nossos jovens estão necessitados do estímulo de uma vida de verdadeira grandeza”, explicou uma das apresentadoras, a ex-participante do programa norte americano America's Next Top Model, Leah Darrow. Seu incentivo tanto para a juventude como para os delegados se uniu ao de Kristan Hawkins, de Students for Life of America, ao de Meghan Knighton, do Catholic Near East Welfare Association e ao de Jeffrey Azize e Michael Campo, produtores do documentário “The Human Experience” (A Experiência Humana) que foi aclamado pela crítica.
=
Os apresentadores criticaram os que pintam o futuro da juventude com pinceladas sombrias e insistiram que a chave para fazer realidade a dignidade humana é desafiar a juventude e a sociedade em seu conjunto para que vivam uma vida virtuosa.
=
O arcebispo Francis Chillicatt disse ao Friday Fax: “Os jovens participantes expuseram magnificamente o importante papel da juventude na transformação da sociedade e da cultura atual através dos valores evangélicos. Seu testemunho pessoal de vida cristã é o tipo de legado que deve ser deixado para as gerações futuras”.

Por Lauren Funk e Nicholas Dunn
________________________________________Fonte: Friday Fax 29/07/2011 Vol. 14 n.33 - http://www.c-fam.org/


















Igreja Presbiteriana do Brasil
O Blog - "A Serviço do Senhor"
Diác. Rilvan Stutz "O Servo com Cristo!"
Por Lauren Funk e Nicholas Dunn
Portal da Família - Artigos e Variedades

Rádio Rei dos Reis