Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

quinta-feira, junho 05, 2008

CORRIGIR PERDOANDO

"Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais."
João. 8,11 b.

Devemos lembrar a passagem de Jesus Cristo por terra, com muito carinho e responsabilidade. Lembrar dos Seus maravilhosos feitos. Meditar com bastante sabedoria sobre tudo o que nos ensinou. Lembrar do seu sacrifício final pela humanidade. Seus ensinamentos foram revestidos de uma humildade jamais vista em tempo algum, são atitudes claras, diretas, simples, amorosas e corretivas. Tudo isto para o bem daqueles que ouvem e O aceita. Sentimos no ministério de Jesus, uma grande preocupação no “perdoar recuperando” Jesus ensinou amar, unir, perdoar, recuperar. Nunca matar, jogar fora, dividir ou isolar ou faltar a Palavra amorosa. Anunciar a Salvação é a nossa principal missão, não esquecendo nunca o perdão em primeiro lugar. É isto que vai nos proporcionar melhores condições para apresentar o bom trabalho que complementa o desejo do Senhor: Recuperar.


Não podemos omitir de forma alguma, que temos vivido tempos difíceis que nos levam a ver muitas injustiças, falta o amor, dedicação e perdão. Hoje isolamos ou jogamos fora facilmente um irmão sem praticarmos ardentemente o perdão, que é a correção real, restauradora, pregada por Jesus Cristo.

É fato, que bem lá dentro de nossas igrejas, encontramos multidões de problemas, dos mais simples aos mais complexos. Não poderíamos deixar de meditar sobre este assunto, pois os tempos em que vivemos, nos faz sentir todas estas situações. Percebe-se muita falta do preparo, da bondade e até mesmo da honestidade. Devemos meditar muito sobre nosso dever perante nosso senhor Jesus cristo, perante a Igreja. Neste momento, deixar um texto sobre este tema acreditamos ser saudável, pois sabemos, temos falhado muito em nossos deveres, nossos relacionamentos, principalmente quando faltamos boas atitudes para com o nosso próximo, nosso irmão.

Temos grande número de ministros, pastores, separados do seu rebanho, isolados por algo acontecido. Sabemos que muitos choram sem condições de se colocar apto a lutar pela justa Recuperação, falar assim não é uma critica e sim lembrar que temos mais um fora da batalha. Vivemos dentro de um sistema em que temos visto e sido testemunhas que nem sempre Jesus está á frente no comandando, pois não nos entregamos em condições para a obra. Grandes tribunais eclesiásticos são organizados movidos por este sistema que nos dirige, não fazemos uma apologia contra tribunais e sim a preocupação com a falta de amor que atinge a muitos.


Desta forma chegamos a uma preocupada pergunta: “Jesus Cristo tem sido o presidente de tribunais”. Em toda sua missão na terra Jesus Cristo nunca precisou organizar qualquer tribunal, sabiamente com os lábios banhados de amor e beleza dizia, como no evangelho de João cap. 8,11: nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais. Seria muito importante enfatizar “quem não tiver pecado atire a primeira pedra”, quantos tribunais poderão atirar a primeira pedra? Falamos em tribunal, pois o mesmo implica na correção dos fieis.

Não podemos abafar a Voz de Cristo a verdade. Temos inúmeras situações que não podem continuar com problemas mal resolvidos, assim desarticulamos cada vez mais nossas igrejas, afetando a vida de pastores, irmãos, oficiais e muitos líderes tão necessários para o trabalho do Reino de Cristo.

Jesus Cristo veio como nosso salvador, nosso pastor de ovelhas, veio ama-las, curar suas feridas tirara-las do abismo a que caiu, traze-la para o rebanho. Dar a vida verdadeira que foi proposta para ela e, que homem nenhum pode mudar seu destino.


A grande preocupação neste momento é a falta de correção na aplicação dos ensinamentos de Cristo. O amor, a dedicação no tratar do perdão. Cristo nos ensina a perdoar sempre, recuperando o ser humano, não existe um sequer diferente, todos são iguais. A hora para desfazermos injustiças, é hoje! Nunca deixar para o amanhã!O exemplo deixado por Jesus nos leva a ter a obrigação e coragem de labutar ao lado da verdade, do sábio amor, que constrói vida em abundância. Jesus nos prepara para enfrentar com grande coragem, tantos problemas, exercitando o amor, praticando a justiça, o perdão, a misericórdia, sendo verdadeiro. Assim precisamos estar ajustados aos ensinamentos de Cristo. Jamais em tempo algum qualquer tribunal, qualquer sentença, qualquer procedimento que não reflita honestidade, correção, jamais superará o amor de Cristo.
Que nosso Deus todo poderoso sempre nos conceda sabedoria.

Diácono: Rilvan Stutz
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro - Rio

UMA FAMÍLIA AO REDOR DA MESA: "UMA CONDUTA CADA VEZ MAIS RARA"

Lamentamos com muita tristeza tal acontecimento. Destacamos este fato, pois se trata de uma conduta que aos poucos com certeza trarão graves problemas para a familia. Aparece a falta de zelo, harmonia, o próprio compromisso familiar, são componentes essenciais dentro do lar. Nos preocupa, pois sabemos que a família aos poucos se afasta da comunhão. Se lembrarmos que a “família” é o grande projeto de Deus, o principal, se torna algo mais preocupante.

Destacamos a mesa em um lar, e lembramos como se fosse hoje, nossos Pais exigia que todos tomassem lugar há mesa, hora de grande respeito. Sabemos que este procedimento ainda existe em muitos lares. Esta atitude nos alerta para uma condição diferenciada, que não nos deixa duvidas: o respeito, é preciso estar em primeiro lugar no lar, por outro lado, valorizar a união, um momento tão relevante e saudável entre as pessoas.

A mesa, antes que um móvel, remete a uma experiência existencial e um rito. Ela representa o lugar privilegiado da família, da comunhão, amor e da irmandade.

Há alguns dias atrás li um artigo de um Teólogo, não iremos citar o nome por respeito e postura. Dizia ele comensalidade: refazer a humanidade, no qual ele afirma que a comensalidade, que supõe a solidariedade e a cooperação de uns para com os outros, permitiu o primeiro salto da animalidade em direção à humanidade, o que é discutível, certamente.

Conforme o artigo, comensalidade significa comer e beber juntos ao redor da mesa. Esta é uma das referências mais ancestrais da familiaridade humana, pois aí se fazem e refazem continuamente as relações que sustentam a família.

Prosseguimos com cuidado profundidade e clareza, o e é peculiar ao autor, destacando a importância que se deve dar à reunião constante da família ao redor da mesa, não somente aos domingos ou em festas especiais, a fim de que o núcleo familiar não se desfaça. O comentário me fez pensar sobre a comensalidade da família eclesiástica, mormente, a família Evangélica.

Lembrando que estamos no mês do lar, lembramos também que este artigo pode e deve ser também considerado em qualquer mês do ano, pois se tratando de família a prioridade é única e preferencial em qualquer tempo. Repito por ser mês do lar nossa atenção deve estar voltada para o investimento nas famílias, as quais são formadas por gerações diferentes como algumas citações já feitas.

Temos como responsabilidade, “por exemplo”: O Aperfeiçoamento da Família na Integração das Gerações. Outro ponto que preocupa muito é O Aperfeiçoamento da Família no Relacionamento com Deus e com a Igreja. O tema é vasto, existem muitas outras idéias livres, que poderiam ser úteis a qualquer estudo proposto.

Entendo que este é mais um momento para sentarmos ao redor da mesa numa verdadeira comensalidade familiar Cristã para partilharmos, comunicarmos a alegria de estarmos juntos o bem estar sem disfarces, a comunhão direta, que se traduz pela sem cerimônia dos comentários dos fatos cotidianos que nos envolvem na Igreja e fora dela; momento singular para reabastecermos os nossos celeiros emocionais e espirituais e ampliarmos a nossa visão sobre o relacionamento familiar. Enfim, investir mais na família, pois ela é benção de Deus. Amém.
Rilvan Stutz
Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro - Rio

MAIS QUE VENCEDORES

Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até o dia de Cristo Jesus.
Dou graças a Deus por tudo que recordo de vós! Queridos Irmãos muito nos emociona, quando lembramos do Apóstolo Paulo na carta aos Filipenses. O Apostolo trata aquele povo com um carinho de forma muito especial parece que fala para um só grupo de amigos a quem ele amava profundamente. A nota dominante dessa breve carta é a “alegria!”. Isso ainda é mais notável em vista do fato de que Paulo escrevia quando estava aprisionado. As notas gêmeas da humildade e da preocupação pelos outros também são bem evidentes. Em vista daquilo que Cristo fez, não há espaço para o orgulho na vida do filho de Deus. Em face do grande exemplo de Cristo, Seus seguidores não ousam ser “egoístas!”.Atualmente é quase universalmente aceita como carta que saiu das mãos do próprio Apóstolo Paulo, foi escrita da prisão. Possivelmente da Cidade de Roma. Permita os Irmãos, a emoção, me leva a ler o início da carta ao Povo de Filipenses; “Dou graças a Deus por tudo que recordo de vós”. Quando intitulo esta matéria “Mais Que Vencedores”, percebemos na alegria do Apóstolo, ele notava, que ali trabalhava um Povo fiel, “mais que vencedor”, voltado para o evangelho de Cristo. O Apóstolo confiava naquele Povo, sabia que podia confiar nos seus! O Apóstolo sabia que convivia com um Povo voltado para a obra Cristo. Destacamos que o Apóstolo Paulo foi o mais assemelhado a Jesus. Cristo! Simples, amoroso, incansável e de fé inabalável! “CUPRIU SUA MISSÃO TÃO DOLOROSA!”. SAUDADE! Esta o Apóstolo destaca com muita alegria no coração! Convido os Irmãos a compartilhar na leitura dos versículos sétimo e oitavo, lemos com a alegria como Paulo espelhava sua missão. Diz assim: Aliás, é justo que eu assim pense de todos vós, porque vos trago no coração, seja nas minhas algemas, seja na defesa e confirmação do Evangelho, pois todos são participantes da graça comigo. Pois minha testemunha é Deus, da “saudade” que tenho de todos vós, na terna misericórdia de Cristo Jesus! No versículo quinto o Apóstolo fala; pela vossa cooperação no Evangelho, desde o primeiro dia até aquele momento. Aqui pode significar “generosidade”. É uma palavra chave da epístola. A idéia é “que alguém tenha tido grande participação não revelada”. Note, do v.1 ao 7 versículo, onde Paulo e os Filipenses compartilham uma união tanto em sofrimentos como também na graça.Lemos adiante, que a situação do Apóstolo contribuiu para o progresso do Evangelho. O Apóstolo fala no v.14, a maioria dos Irmãos estimulados no Senhor por minhas algemas, ousa falar com mais desassombro a Palavra de Deus. Ainda diz assim no v.15, Alguns efetivamente proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade. Dois grupos pregavam o Evangelho, um motivado por amor e outro por rivalidade querendo assim suscitar tribulação. A despeito da má intenção, a verdadeira mensagem era divulgada. A segurança do Apóstolo no que diz respeito à pregação do Evangelho era tanta, que jamais mostrou fraqueza ou tristeza em Filipos. É importante observamos que Paulo faz breves e agudas advertências a respeito destes indivíduos que já haviam provocado grandes dificuldades ao Apóstolo em outros lugares.Desta forma o comportamento dos seus sempre causou alegria ao Apóstolo Paulo que fala maravilhosamente da Palavra divina de Deus no versículo v.18. Sua fé era tanta, que fala mostrando uma tranqüilidade “impar”. Diz o Apóstolo Paulo: Todavia que importa? Uma vez que Cristo de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, assim, sempre me regozijarei. Irmãos, quando Paulo profere a Palavra “regozijo” é a nota chave da epístola. Diz ainda, “a unidade está na luta!“. O Apóstolo conclui; “Vivei, acima de tudo, por modo digno do Evangelho de Cristo. (P.a).O Evangelho. É uma outra palavra chave da epístola. Observemos, que a exceção feita a esta passagem, todas as outras se referem ao ministério de Evangelização confiado às mãos de Paulo. O bom estado do coração vence o mundo exterior. A vivendo de modo digno do Evangelho. Como? Firmes, unidos no Espírito, lutando pelo Evangelho, não intimidados e fortalecidos pela Graça e comunhão com Cristo. Assim Irmão! “SEREMOS MAIS QUE VENCEDORES, SEREMOS VERDADEIROS SERVOS DE CRISTO PELA SALVAÇÃO!”. “CRISTO É O MAIOR EXEMPLO PARA HUMILDADE, AUTONEGAÇÃO E AMOR”.Sejamos verdadeiros vencedores, incansável, exemplar, comece a boa obra que sabemos há em vos! Com nosso bom propósito aguardemos a Volta do Salvador nosso Senhor Jesus Cristo.Amém.
Rilvan Stutz
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

UM AMANHÃ FELIZ

Clamarei ao Deus Altíssimo, ao Deus que por mim tudo executa. Salmos 57.2

Um amanhã feliz! Com certeza é grande desejo do nosso Deus, ver o homem feliz neste mundo! Falar do mundo é falar de perfeição de beleza! Pensar no mundo é pensar no inimaginável é ter a certeza que um Ser poderoso, chamado Deus! Guia diariamente este Planeta. Cuida de tudo que se relacione a sua criação em todos seus pormenores! Tudo ocorre conforme sua vontade! Uma de suas criações o homem; tem o seu cuidado especial! Deus o ama muito! Temos uma sabedoria que nos foi dada gratuitamente. Deus nos colocou em condições entender a razão de todas as coisas “O QUE PODEMOS E O QUE NÃO PODEMOS!” Se torna claro colocamos o pecado bem longe de nossas vidas!
Gostaria de comentar um pouco sobre o pecado! É importante. Não existe mal maior! O pecado além de mudar todas as coisas é com certeza, o “vírus” que impede a felicidade do homem! Vai embora o que tanto esperamos a “Felicidade Plena!”. O pecado, ele coroe como a ferrugem ele destrói! Em grande parte do dia praticamos erros, e com certeza a conseqüência sempre aparece em pouco tempo. Reconhecendo o erro nos afligimos muito! Então é chegada a hora de recorremos ao nosso senhor Jesus Cristo, nosso Advogado junto ao Pai! Segurar a mão de Deus e ficar para sempre em comunhão com Ele.
A bíblia ensina, passaremos dificuldades, isto é certo. Precisamos fazer uma revolução em nosso viver, enquanto isto não acontecer, estamos deixando de colher bênçãos e bênçãos. Precisamos prepara um caminho sábio o importante e melhorar e fugir do pecado tão destruidor. Lembramos de uma música do mundo secular que fala assim: ”o que será do amanhã!” Sabemos o mundo longe de Cristo, só espera tristeza. No livro de Tiago (1:12), está escrito: "Bem-aventurado o homem que suporta com perseverança a provação; porque depois de ter sido aprovado recebera a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam A provação e a tentação representam a mesma palavra. O sentido duplo vem da pressão externa (prova) e do desejo interno (tentação). No v. 12 está em vista a provação externa (senão exigiria opor-se em lugar de suportar). Enquanto que no versículo 13 refere-se à tentação para o pecado. Coroa da Vida. Não é símbolo real ou régio, mas sinal de aprovação.Precisamos ser aprovados, dar uma “sacudidela”, em nossas vidas, separar o que é bom e vive-lo, ter maior comunhão com Cristo, nosso Guia precioso junto ao Pai! Assim poderemos encontrar um pouco mais de paz e saber que viver um feliz é andar com Cristo.Olhar para o mundo, e ver Deus! Em tudo neste mundo tão belo! Assim, vamos entender com certeza viver o que o Senhor preparou!
Um Amanhã Feliz! Aguardemos o dia de amanhã, conforme as Palavras do Profeta Tiago! Bem-aventurado o homem que suporta com perseverança a provação! Faça hoje com atitudes cristãs um belo dia! Prepare “UM AMANHÃ FELIZ!”.

Diácono Rilvan stutz
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro – Rio

Rádio Rei dos Reis