Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

sexta-feira, junho 12, 2009

A PRATICA DO PERDÃO: UM DIGNO DEVER PERANTE CRISTO!


EDIFICAÇÃO


Colocamos como difícil à questão do perdão. Sendo pecadores, devemos reconhecer a prática do perdão, tratar meu semelhante com igualdade, é muito digno. Isto não acontece por motivo da dureza do coração, infelizmente. Sabemos que nosso Mestre Jesus Cristo se entristece, pois nos tornamos cruéis por demais, com duros comportamentos. Não temos sido verdadeiros em nossos relacionamentos, desta forma se estabelece à falta de amor e o perdoar. Lembramos que viver o perdão é lei para os nossos corações e, dignificamos nossa conduta frente a Cristo.
=
O perdão tem se tornado coisa rara, está sumindo no “mercado da vida”, pioramos a cada momento a distância fica cada vez maior do nosso Senhor, temos esquecido o Mestre Jesus. O nosso coração balança incerto hora outra. A “dureza” do coração já sai conosco de nossos lares. Tem faltado a coragem, humildade em momentos de dizer: Perdão!
=
Meditando, sentimos a situação do “meu coração”. O íntimo avisa, nos incomoda, percebemos e, permanecemos o mesmo. Hoje, perdoar tem sido uma tarefa quase impossível! Cadê o amor o meu amor? Precisamos refletir muito quanto ao “Eu”. Estou uma vergonha, sim! Estamos uma vergonha! Tenhamos a coragem de pensar e repensar, aceitar e praticar métodos novos com Cristo em nosso viver, não podemos continuar assim! Se “machucando” e, muito!
=
Um momento de reflexão se torna necessário. O ensinamento de Cristo é pratico rápido, sem fuga, isto é enfrentar de peito aberto o erro cometido. Digamos: ir direto ao problema e não procurar “rodeios e desculpas incompetentes”.
=
Ah! Sermão do monte! Como eu gostaria de estar ali naqueles momentos em que o Mestre tão Amigo, ensina através de Pedro quando pergunta: até quantas vezes devo perdoar meu irmão? Jesus de forma amorosa e extensiva, como olhando para até o final da vida de Pedro diz: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete, (Mateus 18-21). Pedro quis ser generoso, pois as tradições dos rabinos falavam até três vezes. A resposta de Jesus, tomando-se em consideração o que Pedro disse, significa que o espírito de perdão vai muito além dos mesquinhos cálculos humanos.
=
A parábola do credor sem compaixão, ensina a Pedro o motivo pelo qual deve-se perdoar sem limites. Nosso Pai celeste nos perdoou tanta coisa ao nos conceder o dom gratuito da Salvação em Cristo, que qualquer ofensa que outro ser humano possa praticar contra nós, é irrisória, em comparação a isto. Devemos reconhecer que o dever do perdão é o mínimo que podemos fazer, refletindo, assim, algo da bondade divina que tem sido derramada em nossas vidas. Pratiquemos com urgência e muita urgência, o dom de perdoar, assim, estará inclusos em dois momentos preciosos de nossa vida: primeiro teremos uma vida saudável e segundo estaremos sendo obedientes ao Pai Glorioso através do Filho. Pratiquemos o perdão.




Holdings. Tel - Aviv - Jafra - Israel
Autor: Diácono Rilvan Stutz - Shvoong
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro
http://www.reierei.blogspot.com/

Rádio Rei dos Reis