Seguidores

Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

terça-feira, maio 13, 2014

VOCÊ É MUITO ESPECIAL PARA DEUS











Jesus foi crucificado numa cruz com os abraços abertos para que todos os homens pudessem saber que Ele pode acolher qualquer um que se aproximar dele. 

Deus conhece o seu coração e o inimigo muitas vezes tem alimentado circunstâncias e situações, colocado em sua vida pessoas que o rejeitaram e continuam rejeitando. 

Mas o Pai celestial o aceita. 

Fomos aceitos ali na cruz. 

Aceitar a Jesus é também ser aceito por Ele. 

Deus não faz acepção de pessoas; Ele disse: “Se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá”. 

As pessoas mais queridas da sua vida podem rejeitar você, mas Ele jamais o rejeitará. 

O valor maior não é o que as pessoas pensam sobre você, mas o que Deus pensa a seu respeito, e Ele aceita você. 

O grande problema do filho pródigo era a dúvida: Será que meu pai me aceitará, depois de tudo que eu fiz? 

Ele não pensou o que o irmão pensaria dele, mas o importante era o que o pai pensava. 

Veja este texto glorioso: “Continuou: Certo homem tinha dois filhos; o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me cabe. 

E ele lhes repartiu os haveres. Passados não muitos dias, o filho mais moço, ajuntando tudo o que era seu, partiu para uma terra distante e lá dissipou todos os seus bens, vivendo dissoluta mente. 

Depois de ter consumido tudo, sobreveio àquele país uma grande fome, e ele começou a passar necessidade. 

Então, ele foi e se agregou a um dos cidadãos daquela terra, e este o mandou para os seus campos a guardar porcos. 

 

Ali, desejava ele fartar-se das alfarrobas que os porcos comiam; mas ninguém lhe dava nada. Então, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui morro de fome! 

Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores. 

E, levantando-se, foi para seu pai. 

Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou. 

E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. 

O pai, porém, disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, vesti-o, coloque um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também e matai o novilho cevado. 

Comamos e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado. 

E começaram a regozijar-se. 

Ora, o filho mais velho estivera no campo; e, quando voltava, ao aproximar- -se da casa, ouviu a música e as danças. 

Chamou um dos criados e perguntou-lhe que era aquilo. 

E ele informou: Veio teu irmão, e teu pai mandou matar o novilho cevado, porque o recuperou com saúde. 

Ele se indignou e não queria entrar; saindo, porém, o pai, procurava conciliá-lo. 

Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado. 

Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu. Entretanto, era preciso que nos regozijássemos e nos alegrássemos, porque esse teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado” (Lucas 15.11-32, grifo meu). 

O Pai nos aceita, a Palavra diz em João 3.16: “Por que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que tudo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. 

Antes de Jesus render o espírito, ele disse: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mateus 27.46). “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós, para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Coríntios 5.21). 

A Bíblia diz que quando na cruz, Jesus tomou os nossos pecados, porque ele não conheceu pecado, se fez pecado por nós, Deus voltou o rosto e não contemplou o próprio Filho. 

E o grito de Jesus foi: “Por que me desamparastes?” 

Querido, o Senhor foi desamparado ali na cruz para que pudéssemos ser aceitos. 

Você e eu não precisamos mais carregar o fardo de uma vida longe do Senhor, porque somos aceitos, e ao tomar posse dessa bênção, toda rejeição não existirá mais, porque Deus nos amou de tal maneira que deu Seu único filho para pagar um alto preço por nós. 

Tome posse dessa realidade! 

Deus abençoe! 

Márcio Valadão


Holdings Tel Aviv – Jafra – Israel 
Diác. Rilvan Stutz – “O Servo com Cristo” 
Blog: Rei dos Reis – “A Serviço do Senhor"
Portal Interlegis.gov.br – Direitos Humanos – Membro 
Instituto de Pesquisas (Arqueológicas) Membro – Israel
Academia de Natânea – Membro – Israel 
Portal Shvoong – Membro – Israel 

 

 


Rádio Rei dos Reis